................................................................- .-..Jornal do Commercio, Recife, 03 de dezembro de 1997
  MOTIM
Rebelião na cadeia de Guarujá deixa 1 morto

GUARUJÁ (SP) - Um preso foi morto e duas pessoas ficaram feridas ontem, em rebelião na Cadeia Pública de Guarujá, a 88 quilômetros de São Paulo. O preso Luiz Alberto Santana foi morto a golpes de estilete, outro ficou ferido e o carcereiro Cid Telhado saiu do episódio ferido do no pé e na perna.

O motim, o terceiro em 97, começou por volta das 7 horas, após uma tentativa de fuga, quando um funcionário da empresa fornecedora de alimentos servia o café. O rapaz foi dominado com o carcereiro e os dois só foram libertados às 17 horas, quando terminou a rebelião. Dois presos conseguiram fugir. Os detentos queriam a transferência de cerca de 100 detentos para outros presídios. A cadeia tem capacidade para 60 detentos, mas abrigava 303.

Por volta das 11h, os rebelados abriram o xadrez onde ficam os presos jurados de morte e amarraram quatro deles no pátio interno. Também foi chamado o juiz corregedor Gilberto Ferreira da Cruz para negociar a remoção de 100 detentos. As celas da cadeia do Guarujá, que deveriam abrigar no máximo 12 homens estão abrigando de 30 a 40 presos.

A rebelião só terminou após o delegado titular do município, Odair Fernandes Grilo conseguir a remoção, à tarde, de 22 presos para o presídio de Tremembé.

............ ..........................................



     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | Imagens do Dia |JC Debate | Roteiro | Weekend |
Bate-papo | Fale com o JC | Links | Busca | Calssificados