- - - - -- - - - - - - -- - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 03 de novembro de 1998

ARTES CÊNICAS
Mais 2 grupos no Cena Pernambucana

Atores, produtores e diretores se reúnem, hoje, no Teatro Arraial, em mais um encontro do Projeto Memórias da Cena Pernambucana - o Teatro de Grupo. Dessa vez, o bate-papo discute a trajetória dos grupos Foco III do Coliseu e Trupe do Barulho.

Eles foi o primeiro espetáculo do grupo Foco III do Coliseu, que surgiu em 90. O grupo homenageia o maior anfiteatro romano e a união profissional dos artistas Izaltino Caetano (diretor), Norberto Cardoso (ator, no início da formação do grupo e depois, dramaturgo) e Michelly Laouren (atriz). Depois de Eles, o grupo fez Maria Minhoca, que se transformou em um grande sucesso. Do elenco, participavam os atores Evandro Campelo, Laudo Moura, Norberto Cardoso, Rui Costa além de Michelly Laouren. Foi justamente com a montagem desses dois espetáculos que o grupo conquistou, durante um festival promovido pelo Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro, vários prêmios. O grupo voltava da temporada carioca com os títulos de "Melhor espetáculo", "Melhor direção" para Izaltino Caetano e "Melhor Ator" para Norberto Caetano.

Em paralelo, o grupo montava o infantil Bem-Te-Vi. Em 92, Gabriel e Isabel rendeu ao grupo diversos prêmios do XII Festival de Teatro de Bolso. Em 93, era a vez das peças Os Palhaços da Rua da Alegria e Menina Margarida. A lista de espetáculos do grupo inclue, entre outros, O Grande Inquisitor, Cartas para um Mozartiano e As Grávidas.

Há três anos, com a morte de Norberto Cardoso, e Michelly Laouren morando no Rio de Janeiro, Izaltino ficou sozinho no comando do grupo. Não parou. Além de montar novos espetáculos, sendo o mais recente Monólogo para Três - Uma Absurda Situação Nazista, realiza oficinas para novos atores em escolas públicas e privadas.

TRUPE DO BARULHO - Há sete anos Cinderella: a estória que sua mãe não contou, o único espetáculo montado pela Trupe do Barulho está em cartaz no Recife. Inicialmente montado para ser um show gay, com 35 minutos, o espetáculo teatral tem, hoje, duas horas de duração. Foi visto, em 1996, no Geraldão, por 25 mil pessoas.

A história da Trupe do Barulho começou assim: Henrique Celibi escreveu em 1981 um esquete baseado no conto de fadas, Cinderela, no qual o ator Jeison Wallace, na época, diretor da Boate Araras, dirigia e fazia a personagem principal do que foi intitulado Cinderela: a bicha borralheira, uma versão trash da história infantil. Luciano Rodrigues, Edilson Rygaard, Roberto Costa, Flávio Luís, Jô Ribeiro e Emerson Nascimento estavam no elenco. Na montagem atual, ... a estória que sua mãe não contou houve apenas uma substituição no elenco: Emerson Nascimento deu lugar ao ator Aurino Xavier. O espetáculo já foi apresentado em cinco estados brasileiros.

O evento, que tem entrada franca, é organizado pela Federação Pernambucana de Teatro começa às 19h. O endereço do Teatro Arraial é Rua da Aurora, 457.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes