- - -- - - -- - - - - - - -- - - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 09 de agosto de 1998

PLÁSTICO
Grupo espanhol abre no Recife fábrica de móveis

por KÁTIA ROGÉRIA
Especial para o JC

A empresa Plas-Alco do Brasil, fabricante de móveis plásticos, está instalando em Recife sua primeira unidade industrial. A fábrica começa a operar no próximo mês de setembro, com investimentos próprios de R$ 3,5 milhões. A produção inicial será de 90 mil peças/mês, passando numa segunda fase a 200 mil peças/mês.

Há possibilidade de que uma segunda fábrica do grupo seja instalada no Complexo Industrial de Suape. A intenção é atender aos mercados do Mercosul, através de Pernambuco. A empresa já dispõe de uma distribuidora no Recife.

A Plas-Alco é uma holding dos grupos espanhóis Manufactura Alco e Plasmir, com duas fábricas na Espanha (móveis plásticos e de cano) e uma na Argentina. A Plas-Alco do Brasil surgiu há dois anos, com a instalaçção de uma unidade de distribuição em São Paulo.

O escritório da empresa no Recife foi instalado em setembro de 97 e distribui uma média de 80 mil peças/mês, movimentando cerca de R$ 1 milhão, para estados do Norte e Nordeste, e eventualmente do Centro-Oeste do País.

A fábrica em instalação vai atender essa demanda, com meta de ampliação a partir de março de 99. "Nossa intenção é chegar a 2002 produzindo 300 mil peças a cada mês", diz o diretor regional da Plas-Alco, Noberto Moura. Ele explica que na unidade de Pernambuco serão fabricadas as linhas mais populares de móveis plásticos (mesas e poltronas), que representam mais de 80% das vendas da empresa no Brasil. Outras peças de maior valor agredado continuarão vindo da Espanha.

Em regime de terceirização, as peças de acabamento dos móveis plásticos serão adquiridas de outras fábricas. "Nós já atuamos dessa forma nas demais indústrias da Plas-Alco e a intenção é comprar as peças utilizadas nos móveis produzidos aqui entre os fabricantes locais", antecipou Franciolo.

O grupo Plas-Alco estuda a possibilidade de instalar uma fábrica no Complexo Industrial de Suape. "Funcionaria como um centro de distribuição para o Mercosul", esclarece o superintendente da Plas-Alco do Brasil, Francisco Francioso. A localização estratégica de Pernambuco em relação à Europa - de onde viria grande parte das peças - e a infra-estrutura portuária, facilitando o escoamento da produção para o Mercosul, contribuem para que esse projeto seja concretizado, de acordo com o superintendente.

O Mercosul fica hoje com menos de 10% das 450 mil peças/mês distribuidas pela unidade da Plas-Alco em São Paulo. Muito pouco tendo em vista a demanda de mercado, como avalia Francioso. A partir da instalação da nova fábrica no Recife, as vendas para o Mercosul já devem ser ampliadas. A distribuidora paulista deixaria de atender alguns estados do Centro-Sul, que passariam a receber produtos fabricados na unidade pernambucana.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes