- - - - - - - -- - - - - - - -- - - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 12 de maio de 1998

TERRAS II
MST denuncia país por não honrar os direitos humanos

BELÉM - O advogado do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no Pará, Carlos Amaral, informou, ontem, que a entidade denunciou o Brasil por violação dos direitos dos sem-terra na Comissão Internacional de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA). Amaral citou como exemplos marcantes do desrespeito aos direitos humanos o massacre de 19 sem-terra pela Polícia Militar em Eldorado dos Carajás, em 17 de abril de 96, e os assassinatos de Onalício Araújo e Valentim Serra, líderes do movimento em Parauapebas, no último mês de março.

Amaral afirmou que o Brasil sentirá, brevemente, o impacto da denúncia do MST à OEA. "Haverá prejuízo nos investimentos de bancos internacionais no Brasil, pois há proibição estatutária de não conceder empréstimos e financiamentos para países que não cumprem tratados de direitos humanos", garantiu o advogado.

DESOCUPAÇÃO - O Governo do Mato Grosso do Sul tem prazo até a próxima segunda-feira para fazer a desocupação da fazenda Indiana, no município de Japorã, sul do Estado. Há quatro meses, 250 famílias chegaram à área, depois que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) deu como certa a desapropriação da propriedade. De acordo com líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, os agricultores não resistirão à reintegração de posse.




   

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes