- - - - - - - -- - - - - - - -- - - - -- - - ---Jornal do Commercio - Recife, 12 de maio de 1998

CHUVA

Barreiras deslizam e destroem casas

por CRISTIANO JERÔNIMO

Enquanto a ausência de chuva tem provocado sérios problemas no Sertão, a presença dela no Recife, durante a madrugada de ontem, já provocou o deslizamento de quatro barreiras em morros da Zona Norte da cidade. A Comissão de Defesa Civil do Recife (Codecir) registrou ainda outras 15 ocorrências, mas não houve feridos e apenas uma família ficou desabrigada. Contudo, muitos moradores das áreas de risco de Casa Amarela estão apreensivos com a chegada do período chuvoso que, segundo o meteorologista Ricardo Rodrigues, já deveria ter iniciado, "não fosse a forte atuação do fenômeno El Niño".

Na ladeira da Rua Copa 70, no Alto Jardim Progresso, o muro de arrimo localizado nos fundos da Igreja Metodista desabou, soterrou uma residência e deixou uma outra parcialmente destruída. Os moradores estão apreensivos e temem ser as próximas vítimas. "A casa destruída ia ser alugada ontem, mas ainda não tinha ninguém", disse aliviada a dona de casa Kátia Maria da Silva, que reside ao lado. Ângela Maria dos Santos, 36 anos, lembra que o muro tinha mais de 15 anos e nunca passou por reformas. "Já estava ameaçado pela Codecir", enfatizou.

Na Rua F, no Córrego da Areia, o desempregado Glauber Germano Sobrinho, 28 anos, pai de cinco crianças, levou um susto com a queda da parede da sala de sua casa. O muro de arrimo, construído pelos próprios moradores, desabou durante a madrugada e, por sorte, não atingiu ninguém. "Esperamos três anos pela prefeitura. Mas quem vive de promessa é santo. Nós compramos três mil tijolos, dois metros de areia e dez sacos de cimentos, fizemos o muro e agora tivemos um prejuízo de quase R$ 500,00", desabafou. Entre seus filhos menores, Cibele Germano Silveira, 4, olhava a barreira sem ter noção do perigo.

O coodenador da Codecir, Wilson Albuquerque, explica que o órgão de defesa está atendendo aos chamados da população dos morros, mas não tem recursos disponíveis para realizar obras. "Fazemos um trabalho preventivo e educativo. O importante é que as pessoas afetadas ou em perigo informem à comissão de defesa da localidade".


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes