- - - -- - - -- - - - - - - -- - - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 12 de maio de 1998

AGROPECUÁRIA IV
Sanharó manda gado magro ao abate

A crise enfrentada pela bacia leiteira de Pernambuco, em decorrência da seca, está atingindo em cheio os rebanhos de Sanharó. O município, que foi um dos mais importantes produtores de leite do Estado, registrou de dezembro para cá, uma queda de 40% no volume diário do produto.

Convivendo com a mesma realidade registrada em Garanhuns, e nos outros 26 municípios que compõem a bacia leiteira de Pernambuco - onde o gado está sendo vendido por preços irrisórios - os produtores de Sanharó estão sendo obrigados a destinar ao açougue reses magras que encontram-se sem condições de produzir. A idéia é fugir de um prejuízo maior, uma vez que, com o passar dos meses, o gado acaba morrendo em decorrência da falta de alimento.

De acordo com o presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Sanharó, Evandro Valença a baixa produção de leite vem afetando a fabricação de derivados como queijo coalho e manteiga de garrafa, atividade que contribui para o orçamento de boa parte da população do município. "Cerca de 20 pequenas fábricas estão com a produção comprometida".

LATICÍNIOS - Valença lembra que Sanharó já teve uma fábrica de laticínios de grande porte, pertencente à Companhia de Industrialização de Leite de Pernambuco (Cilpe). "Grande parte do queijo consumido em Pernambuco saía daqui. Com a venda da Cilpe para a Parmalat, toda a produção passou a ser concentrada em Pesqueira (sede da empresa no Estado", diz.

Mesmo com o fechamento da unidade industrial, o município manteve a tradição de fabricar queijo e manteiga. "60% do nosso leite é consumido aqui mesmo em Sanharó". A Parmalat recebe 25% e os 15% restantes são destinados a empresas do segmento de pasteurização, de Caruaru.

A produção diária do município está em torno de 16 mil litros diários. O total de pecuaristas não ultrapassa os 250. Evandro Valença revela que a redução da produtividade por cabeça está em torno de 50%. "Em tempos normais, uma matriz chega a 12 litros de leite/dia. Agora atinge uma média de apenas seis a sete litros/dia".


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes