- - - -- - - - - - - -- - - - - - - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 12 de maio de 1998

SECA

Inquéritos vão investigar os responsáveis pelos saques

Três inquéritos foram instaurados, ontem, na Polícia Federal em Pernambuco, para investigar os responsáveis por saques ocorridos nas duas últimas semanas. Os saques atingiram armazéns da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) - órgão ligado ao Ministério da Agricultura -, em Afogados da Ingazeira e Arcoverde, e caminhões que traziam alimentos do Programa Comunidade Solidária, do Governo Federal, em Santa Maria da Boa Vista. Ao contrário do que divulgou o Ministério da Justiça, ontem, a Assessoria de Comunicação da PF no estado não confirmou o envolvimento de qualquer nome do MST entre os suspeitos.

Em relatório nacional da PF divulgado, ontem, pelo ministro da Justiça, Renan Calheiros, líderes do MST em Pernambuco estariam incluídos nos inquéritos federais, entre os quais, o coordenador estadual, Jaime Amorim. "Só com o resultado das investigações, poderemos saber os responsáveis. Por enquanto, não há nomes", disse o assessor de comunicação da PF em Pernambuco, Joaquim Souza Neto.

Segundo Jaime Amorim, o ministro estaria, na verdade, tentando "desencavar" um inquérito antigo (ele acha que, de 95) onde foi acusado de participar de um incêndio durante ocupação à sede do Incra em Pernambuco. "Com relação a saques, o Ministério não pode fazer nada contra nós, pois estaria passando por cima do Poder Judiciário e de toda uma investigação a ser encaminhada pela polícia", comentou.

A presidente dos inquéritos, a delegada Joseny Simas, da Coordenação Judiciária, deverá enviar, hoje, equipes da PF aos municípios. Os responsáveis poderão ser indiciados por acusações de furto (reclusão de um a quatro anos e multa), roubo (reclusão de quatro a 10 anos e multa), formação de quadrilha (reclusão de um a três anos) e danos a prédios públicos (detenção de um a seis meses ou multa).

O superintendente da PF no estado, Lacerda Carlos Júnior, não revelou a estratégia para proteger os 15 comboios com alimentos que estão vindo das regiões Sul e Sudeste para os flagelados da seca. Nem disse, também, quantos homens quando os caminhões - que, segundo boatos, estariam na Bahia - chegarão à fronteira de Pernambuco.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes