- - - -- - - - - - - -- - - - - - - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 12 de maio de 1998

SECA II
Famílias de agricultores presos reclamam de injustiça

VICÊNCIA - As famílias dos agricultores Luiz Lucas da Silva e Ismael Ciro Luiz, presos, no Aníbal Bruno, por terem participado de um saque a um supermercado do município de Aliança na semana passada, estão em desespero. A esposa de Ismael, Maria do Carmo da Conceição, 31, diz, aos prantos, que o marido não é assassino, nem marginal. "Ele só não queria ver a família morrer de fome", desabafou, lembrando que só não foi visitar o marido no Presídio porque não tem dinheiro para a passagem. "Vivemos de esmolas há alguns meses", confessa.

Morando com a mãe e os dois filhos na Vila de Trigueiro, distrito de Vicência, Maria diz que Ismael ia começar a plantar na terra onde foi assentado no Engenho Camarazal, em Nazaré da Mata. Ontem choveu na região e só a gleba dele não foi semeada. Luiz Silva, com dez filhos, além de pobre, tem atestado de loucura. "Há dois anos ele esteve mau e foi considerado louco pelos médicos", disse sua filha, Lindacy Severina da Silva, 24, lembrando que, desde então, a família depende do salário de um dos irmãos para sobreviver.

O desembargador Ozael Veloso, do Tribunal de Justiça do Estado, ficou de despachar, hoje, o pedido de habeas corpus dos advogados da dupla, que estão confiantes na libertação. "Eles não são líderes do MST como foi divulgado pelo Ministério da Justiça e nem tem antecendentes criminais.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes