- - - -- - - - - - - - - - - -- - - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 07 de maio de 1998

BERLIM III
Museus e galerias para todos os gostos

Quem gosta de ir a museus e vai ficar poucos dias em Berlim, vai certamente planejar uma volta. Quem não tem o hábito ou acha monótono vai ter uma ótima chance para mudar de opinião. Cinco deles estão na ilha dos museus, na parte histórica atrás da catedral Berliner Dom. O mais conhecido é o museu do Pérgamo, que, além do altar da antiga cidade grega de Pérgamo, expõe uma coleção de arte islâmica e de moedas antigas.

O Bodemuseum tem um vasto acervo de papiros e uma "Gemaeldegalerie", com pinturas européias dos séculos 15 a 18. O Altes Museum é usado para grandes exposições temporárias. Quem quiser conhecer melhor a história alemã não pode deixar de dar uma olhada no Deutsches Historisches Museum (Museu Histórico Alemão), na Unter de Linden. Apesar de todos os textos expostos estarem em alemão, logo na entrada é possível alugar um gravador portátil e fita cassete com informações sobre a exposição.

Tudo que você precisa saber sobre o muro você encontra na Haus am Checkpoint Charilie, na epóca da guerra fria a passagem de froteira exclusiva para diplomatas e estrangeiros e, hoje, transformada em um museu (metrô U6, Kochstrasse). O Museu Egípcio, no bairro de Charlottenburg também merece uma visita. Os motivos: o famoso busto da bela Nofretete, rainha egípicia que viveu por volta de 1350 anos. a C., e uma vasta coleção de objetos da região, que datam entre 3 mil e 200 anos a C.. Não deixe de dar uma passada no Museu Broehan, em frente ao egípicio, que reúne objetos em arte-deco (U2, Sophie Charlotte Paltz).

Outro museu imperdível é o Hamburger Bahnhof (Ônibus 245), antiga estação de trem transformada num museu de arte contemporânea, onde encontram-se obras dos artistas mais importantes desse século, como Joseph Beuys, Robert Rauschendeg e Andy Warhol. Alguns metros adiante está o museu de história natural.

MUSICA - Quem gosta de música clássica, não pode perder uma apresentação da Filarmônica em Tiergarten. Para os que preferem ópera, desde a reunificação Berlim possui três óperas: A Staatsoper e a Kormische Oper (Ópera Cômica), na avenida Unter den Linden, e a Deutsche Ope, em Charlottenburg. Se você quiser ir ao teatro, mas não entende alemão, uma altenativa são os musicais em inglês no Schiller Theater (U2 Ernst Reuter Platz). Infelizmente, durante o verão, entre julho e setembro, tanto as óperas quanto a maioria dos teatros não funciona, por causa das férias teatrais.

Em compensação, os cinemas nunca fecham. O único inconveniente é que a maioria dos filmes é dublado. Mas, os cines Odeon (Hauptstrasse 116, U7, estação Kleistpark) e Olympia (Kantstrasse 162, próxima ao Zoo) mostram filmes em original. Toda a programação da cidade você encontra nas revistas Tip e Zitty.

VIDA NOTURNA - A noite berlinense acontece, principalmente, nos bairros de Frenz Berg (entre as estações de mêtros Senefelderplatz e Shoenhauser Alle) e Mitte (entre a Oranienburgerstrasse e o Hackesche Hoefe).

Na Savigniplatz, próxima ao Zoo, a noite é um pouco mais sofisticada e, conseqüentemente, mais cara. Mas, é também aqui onde você pode experimentar a melhor Curryust da cidade (salsicha com ketchup e curry, comida típica de Berlim), num trailer do lado direito da praça Kreuberg. Veja no quadro ao lado alguns dos bares e cafés mais interessantes da cidade. (D.C.)


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes