- - - .................................................-Jornal do Commercio - Recife, 10 de maio de 1998

DEFICIÊNCIA
Superaquecimento do carro é um alerta

Quando o carro pára com problema de superaquecimento é sinal de que algo está errado com o sistema de refrigeração do motor. Entupimentos no radiador, vazamentos nas mangueiras, termostato defeituoso e correia do ventilador desgastada são as causas mais comuns.

Os vazamentos podem ocorrer por cortes ou apodrecimento das mangueiras, diminuindo a quantidade de água no circuito do radiador. A refrigeração também fica comprometida com a penetração de água nos cilindros, que prejudica o óleo e rompe a película protetora das peças em contato direto com o motor.

A água utilizada para o esfriamento do motor merece uma atenção especial, pois as impurezas contidas nela acabam se acumulando nas varetas do radiador provocando a sua obstrução. A corrosão, alerta Edson Luiz Souza Filho, gerente da Oficina Irmãos Carvalho, em Olinda, é outra conseqüência. "Nesse caso, o uso de aditivo no reservatório de água ajuda a dissolver a sujeira", diz. Defeitos na tampa do radiador também levam ao superaquecimento do motor, devido à perda de pressurização.

A bomba d'água é outro item a ser observado. Se ela estiver furada ou o rotor apresentar corrosão, o fluxo de água no interior do motor e na parte externa do radiador diminui. "A limpeza do radiador e a troca da correia de bomba d'água deve ser feita a cada 3 mil km", avisa Edelson Marinho, da Central do Radiador, no Ipsep. Por último, é bom verificar a parte elétrica do automóvel, pois a ela está ligado o ventilador ou venturina, que esfria a água.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes