- - - -- - - - - - - -- - - - -- - - ---Jornal do Commercio - Recife, 17 de dezembro de 1998

VIOLÊNCIA
Corpo de radialista encontrado carbonizado em São Lourenço

O corpo do ex-assessor parlamentar e diretor da Rádio Cultural de Vitória de Santo Antão, Leumin Luís do Carmo, 35 anos, foi encontrado com dois tiros na cabeça e carbonizado, em Matriz da Luz, distrito de São Lourenço da Mata, no Grande Recife. O corpo foi localizado, anteontem, por um funcionário da rádio, identificado apenas como Luciano, que reconheceu o ex-assessor do deputado José Aglaílson por uma tatuagem que ele tinha no braço e um anel comprado recentemente. Leumin Luís do Carmo desapareceu na noite de sábado, na praia de Enseada dos Corais, no município do Cabo de Santo Agostinho, e até agora sua morte permanece sendo um mistério.

Ontem, a irmã da vítima, a funcionária pública Anamin Teresa do Carmo, e o marido dela, Antônio Francelino, estiveram no Grupo de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil, para prestar queixa sobre o caso. Apesar de o ex-assessor ter desaparecido desde o último sábado, o GOE só entrou no caso anteontem. De acordo com o delegado Aníbal Moura, já ficou comprovado que houve o seqüestro, apesar de os autores não terem pedido resgate.

Leumin Luís do Carmo trabalhava desde os 15 anos com o deputado José Aglaílson, do PSB, mas atualmente era funcionário da Rádio Cultural, de propriedade do parlamentar. No dia em que desapareceu, a vítima retornava de uma caminhada na praia, em companhia do deputado. "Era mais ou menos 19h. Eles estavam próximo da residência de José Aglaílson, na Enseada dos Corais, quando um carro apareceu, de marca e placa não-identificadas. Um homem chamou Maneco, como meu irmão era conhecido, e quando o deputado olhou, ele e o carro tinham sumido", contou Anamin Teresa do Carmo.

De acordo com o delegado do Grupo de Operações Especiais, Aníbal Moura, é provável que tenha que ser feita a exumação do corpo, enterrado anteontem. "O problema é que o corpo foi identificado por um funcionário da rádio e não por alguém da família. Além do fato de estar carbonizado, o que exige uma identificação pela arcada dentária. Teremos que corrigir esse erro", explicou o delegado. Aníbal Moura disse ainda que todas as pessoas que trabalhavam com Leumin Luís serão ouvidas, principalmente o deputado José Aglaílson e o funcionário conhecido por Luciano.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes