- - - -- - - - - - - -- - - - -- - - ---Jornal do Commercio - Recife, 17 de dezembro de 1998

JUSTIÇA
Decisão sobre habeas-corpus sai hoje

A decisão sobre o pedido de habeas-corpus em favor do empresário Oscar Aracaty Rocha de Lima será anunciada, hoje, às 13h30, no Tribunal de Justiça de Pernambuco. O juiz Odilon de Oliveira Neto, relator do processo, decidirá se o acusado aguardará julgamento preso ou em liberdade. O habeas-corpus foi impetrado pelos advogados do empresário, Bóris e Eduardo Trindade, no final da tarde da última terça-feira, horas depois de Aracaty ter sido preso por policiais civis, no campus da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). O acusado aguarda a decisão no Presídio Aníbal Bruno. Segundo informações, ele demonstrou estar confiante de que o seu pedido de soltura será acatado pela Justiça.

Aracaty é acusado de assassinar o travesti Ednorílson Oliveira de Araújo, conhecido como "Sera", no dia 2 de outubro de 1984, no bairro de Boa Viagem. No mês passado, o juiz Antônio Carlos Alves da Silva decretou a prisão preventiva do empresário, atendendo pedido do Ministério Público. O julgamento do acusado já foi desmarcado várias vezes, na maioria delas, porque Oscar Aracaty não comparece ao júri, alegando problemas de saúde.

Ontem, pela manhã, o empresário recebeu a visita do pai, Osmar Salvado de Lima, que foi levar roupa e objetos de higiene pessoal para o filho. O acusado passou praticamente o dia inteiro dentro da cela. Segundo o diretor do Aníbal Bruno, capitão Roberto Galindo, Aracaty já foi informado pelos familiares do resultado do vestibular da Unicap, onde ele conseguiu uma vaga no curso de administração.

Por causa do dia de visitas, o empresário foi transferido para o pavilhão L, onde ficam trancados os presos que são réus primários. "Caso não seja solto, ele deverá ficar nesse pavilhão porque ele não tem experiência de presídio. Como ele é uma pessoa com boas condições financeiras, queremos evitar que os presos tentem extorqui-lo em troca de favores ou de proteção", explicou o Galindo.

Arredio com a imprensa, Oscar Aracaty mandou um recado para os repórteres que tentaram conversar com ele, ontem, no Aníbal Bruno. "Diga a eles que eu tomei um remédio e só vou acordar quando for para sair do presídio", avisou a um dos policiais. O acusado é um dos proprietários da empresa de vigilância Preserve. Na época do crime, ele alegou que foi vítima de assalto. O assassinato foi testemunhado por vários travestis que faziam ponto na Avenida Antônio Falcão, em Boa Viagem.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes