- - - -- - - - - - - -- - - - -- - - ---Jornal do Commercio - Recife, 17 de dezembro de 1998

PARIMÔNIO II
Falta de verba inviabiliza Salão de Artes Plásticas

Ao reabrir o Museu do Estado todo recuperado e já se despedindo da função de diretora da casa, Tereza Costa Rêgo lamenta não ter conseguido realizar o Salão de Artes Plásticas de Pernambuco este ano. "Todos nós, artistas plásticos de Pernambuco, velhos ou jovens, somos filhos desse salão, de Cícero Dias aos meninos da Quarta Zona de Arte", reforça.

O primeiro Salão de Artes Plásticas foi realizado em 1943, premiando Vicente do Rego Monteiro. "Sem nada que justificasse, o evento foi interrompido várias vezes ao longo dos anos", sublinha. Na avaliação de Tereza Costa Rêgo, o salão conta a história da arte plástica em Pernambuco. Este ano, ela elaborou o projeto, mas a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico (Fundarpe) argumentou que não tinha verba.

Para fazer a restauração da pintura do prédio, o museu recebeu apoio da empresa Coral, que doou parte das tintas. "Com o leilão de um dos meus quadros, compramos o restante das tintas". A pintura foi executada por policiais militares. Outra novidade para o público são os poemas no muro do casarão, que substituíram o texto de Morte e Vida Severina. São 40 poesias de Ariano Suassuna, Ascenso Ferreira, Manoel Bandeira, Mauro Mota, Lêdo Ivo, Alberto Cunha Melo, Jomard Muniz, Marco Polo e outros.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes