- - -- - - - - - - -- - - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 17 de dezembro de 1998

CONTAS PÚBLICAS III
Estado pode perder indústrias com concorrência desleal

Com a utilização das liminares, quem não recorre ao artifício enfrenta uma concorrência desleal, sendo obrigado a subsidiar os preços de produtos para conseguir competir no mercado, já que este chega a comportar preços 25% mais baratos. Para a Companhia de Bebidas Brahma, atualmente os preços praticados no Estado de Pernambuco não são atrativos para a empresa, que tem um dos menores custos de produção do País e não consegue apresentar a competitividade de algumas de suas concorrentes.

A empresa detém 35% do mercado, com as marcas Brahma, sendo ao mesmo tempo a primeira contribuinte de ICMS do setor de bebidas no Estado. As empresas que compões os 65% restantes da arrecadação estão em posições inferiores no ranking de contribuintes da Secretaria da Fazenda. De acordo com o diretor comercial e fabril da Brahma na Região Nordeste, Luiz Fernando Edmond, o preço médio da caixa da cerveja na região fica entre R$ 19,00 e R$ 21,00, porém no Recife os preços praticados chegam a R$ 17,00.

Apesar das perdas impostas pelo mercado, Edmond afirma que a empresa não cogitou sua retirada do mercado pernambucano, já que acredita na resolução do problema da concessão de liminares. "A mesma dificuldade foi enfrentada em estados como o Paraná e Santa Catarina, sendo resolvido em tempo hábil". Para o diretor da cervejaria, a possibilidade de mudar este quadro existe, uma vez que várias destas decisões já foram caçadas.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes