..............................................-Jornal do Commercio - Recife, 06 de dezembro de 1998

CALMA... II
Os segredos das celebridades para ter paz

Muitos conselhos do americano Richard Carlson já são adotados por vários brasileiros. Um deles, o famoso de contar até dez antes de estourar, é hábito do compositor João Nogueira. O estilista Marco Sabino relaxa com uma massagem e o escritor Silviano Santiago prefere fazer tempestades em copos de uísque.

MARCO NANINI, ator: "Eu procuro não fazer tempestade em copos d'água porque a vida já é muito complicada. Quando uma coisa é definitiva, viro a página e isto me já dá um sentimento de liberdade. Pegou fogo no Teatro Casa Grande? Nada de dramas. Duas horas depois estávamos reunidos discutindo o futuro. Sempre penso logo na pior das hipótese, assim o que vier é lucro. Quando temo que algo de ruim vai acontecer, penso que pior seria se eu morresse. O que pode haver de pior que a própria morte?"

JOÃO NOGUEIRA, compositor: "Já fiz muita bobagem, mas hoje aprendi a levar a vida com humor e alegria. Tive problemas sérios de saúde e, ainda assim, com a ajuda da música, estou conseguindo superá-los. O samba me salvou. Estou fazendo shows lindos e hoje encerro uma temporada no Teatro Rival, onde canto com meus três filhos. Mas às vezes as pessoas me dizem coisas que conto até dez para não sair do sério. Na estréia deste show, eu emocionadíssimo de estar ali com meus filhos, que são o que há de mais importante na minha vida, ouço um inconveniente me dizer que eu tinha que abrir mais espaço para meus filhos no mundo artístico. Contei até dez..."

SILVIANO SANTIAGO, escritor: "Este negócio de tempestade em copo d'água me incomoda muito. Por que não fazemos tempestade em copo de uísque? on the rocks, chuva com granizo... É muito melhor!"

VERA LOYOLA, empresária: "Procuro tirar o melhor da pior situação. Do limão, sempre faço uma limonada. Sempre tem alguém chorando, mas sempre tem alguém fabricando lenço para secar as lágrimas. Mas arrependo-me de muitas tempestades, de ter chamado a atenção dos meus filhos quando tiravam nota baixa ou não comiam. Outro dia, minha filha Anna Thereza me disse que não toma sopa pastosa porque é traumatizada. Ela lembrou que uma vez eu peguei um prato com uma comida pastosa e esfreguei na cara dela porque ela não queria comer.

TAÍS ARAÚJO, atriz: "Já fiz muitas tempestades em copo d'água, principalmente com o noticiário da imprensa. Quando tirei a roupa na novela Chica da Silva, todas as revistas reproduziram do vídeo a cena. Eu estava nua em todas as revistas. Fiquei louca. Queria matar, processar, me matar, achei a vida tinha acabado. Bobagem!"

MARCO SABINO, estilista: "Estou super calmo, quase não faço mais tempestades. Escuto música new age, faço massagem Breema, com o João Luís Moreira, uma terapia que nasceu no Irã, toda feita no solo em cima de tapetes iranianos e persas. O corpo funciona semelhante a uma cebola: as frustrações vão sendo colocadas sobre o corpo, entortando-o, encurvando-o. A massagem, através do toque, vai retirando essas camadas. São quase duas horas de massagem e o João não diz uma só palavra. Depois da sessão, olho bem diferente para todo esse mundo caótico."

TÚLIO, jogador de futebol: "No primeiro semestre de 1997 eu jogava no Corinthians e me venderam para o Cruzeiro. Mas eu não sabia. Era véspera de um jogo decisivo do Corinthians e eu dei um ataque. Fizeram de sacanagem para me botar nervoso e também para que a torcida do Corinthians ficasse contar mim. Fiquei uma fera, xinguei, falei o que não devia. Mas não me arrependo. Hoje faria até pior. Acho que as pessoas têm que lutar pelos seus direitos tanto no campo profissional quanto no pessoal."


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes