- - - -- - - -- - - -- - - -- - - -- - - -Jornal do Commercio - Recife, 16 de dezembro de 1998

BUG DO MILÊNIO
Apocalipse dos computadores preocupa mundo

por SANDRA CARVALHO
Especial para o JC

LONDRES - As profecias sobre o fim do mundo na virada do século parecem ter um fundo de verdade. Pelo menos, no que diz respeito ao mundo dos computadores, o que se espera no ano 2000 é um quase apocalipse. Em termos práticos: imagine ir ao banco, por exemplo, em novo século, e constatar que a sua conta bancária foi confundida com outras e agora você não tem como comprovar a quantia que estava lá no dia anterior. Ou pegar um avião que na hora de pousar não recebe orientação da torre de controle... Deus!

Visando a discutir possíveis planos de emergência para evitar ou corrigir as falhas causadas pelo Bug, a ONU promoveu conferência fechada, em Nova York, na última sexta-feira. Mais de 200 representantes de cerca de 120 estados-membros vieram ao encontro. O presidente do Conselho Norte-americano do Bug, John Koskinem, disse em entrevista ao jornal Nando Times que "este é um problema global. Países ricos devem se preocupar devido a sua extrema dependência dos micros. E os em desenvolvimento também, devido à falta de update na sua tecnologia".

As autoridades americanas e britânicas chamam a atenção do mundo para o tal problema. "Temos um pouco mais de um ano para saná-lo. Não é suficiente", disse ao jornal inglês The Observer, no último domingo, o chefe da Força Tarefa para o bug 2000, Gwyneth Flower. Ele aconselhou a população a estocar comida, pelo menos para duas semanas, evitando racionamento que deverá ser causado pela falha dos computadores na virada do milênio. O governo teima em garantir que o suprimento de comida e energia não será afetado pelo Bug.

A BBC anunciou que 9 entre 10 computadores da Marinha inglesa correm risco de falhar na virada do século. Já alguns economistas estão mesmo preocupados com o mercado financeiro mundial - não totalmente recuperado da onda de crises que abateu Ásia e outras partes do globo. Com a falha dos computadores, ele pode se tornar ainda mais instável.

OS VULNERÁVEIS - Segundo estudo do Gartner Group, os Estados Unidos são os mais preparados, seguidos do Canadá, Austrália, África do Sul, Israel e Reino Unido. O Brasil está na lanterninha. "A oitava maior economia do mundo não saberá lidar com o problema sozinha", mostra o tal estudo. O setor brasileiro mais atingido será o de geração de força. Já o Japão, com todo o seu poderio econômico e tecnológico, também é vulneravel. Simplesmente por preguiça do governo, que admitiu estar atrasado em resolver o problema nos setores financeiro, de transportes, energia e telecomunicações.

A França é o país que mais corre riscos no oeste europeu, com falhas especialmente no setor público. Em efeito dominó, deverá afetar a Grã-Bretanha, que recebe energia elétrica da vizinha francesa. O Leste europeu e a Rússia são, de fato, a grande preocupação dos especialistas. A Rússia também preocupa a Alemanha, que recebe cerca de 40% de energia da primeira. E tira o sono dos cientistas da computação americanos. Eles querem oferecer know-how gratuito para o sistema de defesa russo. Mas o governo russo diz que está tudo sob controle.

Na China, as severas autoridades decretaram que o problema será resolvido em março e os últimos testes deverão ocorrer em setembro de 99. De acordo com o pesquisador da Universidade de Cambridge Ross Anderson, "o pânico deverá começar em agosto e setembro próximos, com pessoas armazenando comida e extratos bancários. Então, a coisa vai tomar dimensão de profecia apocalíptica", afirmou. Ele aconselhou, pelo menos, três meses de estoque em comida, gás e combustível.

A preparação para sanar o problema poderá custar aos países um volume de US$ 600 milhões. Mas o pior vem mesmo depois, com a correção das falhas causadas pelo Bug custando aos bolsos dos governos e empresas do mundo nada menos que US$ 1,4 trilhão.


 

 

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes