- - - -- - - -- - - - - - - -- - - - - - - - --Jornal do Commercio - Recife, 28 de junho de 1998

GÁS II
Abrir uma revenda de gás de cozinha pode ser um bom negócio

Mesmo com o aumento da concorrência, entre as empresas que vendem o gás de cozinha, abrir uma revenda do produto pode ser um bom negócio, na opinião dos empresários Alberto e Rodolfo Moreira. Com um investimento inicial de R$ 100 mil, eles abriram uma revendedora da Minagás em São Lourenço da Mata. "O nosso serviço irá cativar o cliente e ultrapassar os outros existentes no mercado", disse Alberto Moreira.

Pelos cálculos dele, uma revenda deverá ter um faturamento estimado em R$ 60 mil a R$ 70 mil mensais, na primeira fase do projeto. Inicialmente, a revenda irá ter apenas seis caminhonetes. A intenção é colocar mais seis viaturas na rua até o final do ano.

O diferencial do serviço, segundo Alberto Moreira, estará no atendimento rápido que será oferecido ao cliente. "Em todo o município, o cliente receberá o produto 15 minutos depois que fizer o pedido a central de atendimento", afirmou ele. Os veículos são dotados de um sistema de rádio e a entrega será feita pela caminhonete que estiver mais próxima do cliente.

As revendas da Minasgás são ligadas a uma central de atendimento, que recebe o pedido e envia para a revendedora, que atende a área onde o usuário mora. A empresa também pretende usar motos para transportar até quatro botijões de gás. "Isso irá garantir a chegada do produto em locais de difícil acesso", disse Alberto. A revenda deve começar a funcionar na próxima semana e 18 funcionários já trabalham no local.


     

Índice | Editorial | Política | Brasil | Internacional | Cidades | Ciência/Meio Ambiente | Esportes | Economia |
Caderno C | Informática | Turismo | Charge | Colunas | Regional | Veículos | Família | Especiais

Últimas Notícias | JC Debate | Roteiro | Weekend | Bate-papo | Tábua de Marés
Fale com o JC | Links | Classificados | Rádio Jornal| Edições Anteriores | Assinantes