LG_jc.gif (3670 bytes)

MEMÓRIA
Corpo da atriz Heloísa Helena é cremado no Rio

Pioneira na televisão e estrela da época das chanchadas, a atriz carioca Heloísa Helena de Almeida Gama foi cremada ontem, às 11h, no Cemitério do Caju, na zona norte do Rio. Aos 81 anos e fumante inveterada, a atriz foi encontrada morta na tarde de sábado, em seu apartamento no bairro de Ipanema (zona sul), pelas duas filhas Nadja Spencer e Laila Bezerra de Mello, filha do casamento com o teatrólogo Paulo Magalhães, falecido em 1972. Elas acreditam que a mãe tenha sofrido uma parada cardíaca, durante a madrugada, enquanto dormia.

Estrela da época das chanchadas, Heloísa Helena foi uma das primeiras atrizes de televisão, depois do advento da telenovela. Desde 1968, integrava o elenco de atores da Rede Globo, tendo participado de quase todas as novelas de Janete Clair, entre elas a primeira versão de Selva de Pedra (1972), O Astro (1977) e Sétimo Sentido (1982).

A atriz também trabalhou para outros autores em tramas como O Casarão (1976) e Feijão Maravilha (1979). Recentemente, participou da série Mulher, também na Globo. No meio artístico, era conhecida como a "rainha dos cacos" (fala improvisada), principalmente quando queria exaltar o seu time de coração: o Botafogo.

Veterana da televisão e dos palcos (no fim dos anos 40 era estrela premiadíssima da companhia de Jaime Costa), inaugurou ainda o teleteatro com a peça A Bela Madame Vargas, em 1951, na Tupi. Em 1956, viajou para os Estados Unidos, onde chegou a apresentar um programa de TV.

A atriz Arlete Salles lamentou a perda da amiga. "Ela me inspirou no início da carreira, foi minha mestra. Ficamos tão amigas que ela passou a me chamar de filha e eu a chamava de mãe. Era uma mulher atualizada e de brilho próprio".

-----------------------------------------------------------------------


Jornal do Commercio
Recife - 22.06.99
Terça-feira