LG_jc.gif (3670 bytes)

PATENTE
Tijolo ecológico é produzido em Petrolina

por EMANUEL ANDRADE

PETROLINA – A velha fórmula das olarias tradicionais, que usam madeira e fogo para fabricar tijolos, já pode ser considerada coisa do passado, pelo menos nesta cidade do Sertão do São Francisco. Dois engenheiros mecânicos – um italiano e outro suíço, radicados há vários anos em Petrolina – projetaram e construíram duas máquinas eletrohidráulicas para a produção de 'tijolos ecológicos'. Os equipamentos prometem, ao mesmo tempo, poupar o meio ambiente, por dispensarem o uso de lenha, e garantir qualidade e economia para qualquer tipo de construção.

As máquinas, uma manual e outra automática, podem produzir até sete milheiros de tijolos diariamente com matéria-prima resumida a argila, terra, água e cimento. "São tijolos ecológicos porque dispensam o desgaste de combustível ou queima de madeira que, no ato da combustão, espalha fumaça no ar", comenta o italiano Domênico Martino, que assina a invenção em parceria com Marcel Riedo. Os dois levaram cerca de dois anos (entre construção, acabamento e fase de testes) para garantir o funcionamento definitivo das unidades.

Ao contrário das técnicas tradicionais, nas quais a massa é acondicionada em formas que vão ‘cozinhar’ num forno, nas máquinas, a mistura é prensada, enformada e colocada para secar à sombra por cerca de três dias, num processo chamado de curagem.

Os equipamentos já estão patenteados sob o número MU7702130. Segundo Martino, os investimentos para a montagem das máquinas chegaram a R$ 80 mil. "Antes de pensarmos em construir novas máquinas para escala industrial, vamos comercializar os tijolos para recuperar os gastos que tivemos", afirma.

Os tijolos ecológicos não possuem o formato tradicional e dispõem de duas aberturas circulares que garantem uma série de particulares durante no processo de montagem. O encanamento hidráulico e a fiação elétrica, por exemplo, podem ser feitos no ato da construção sem precisar fazer rebocos. Além disso, as paredes levantadas ficam retilíneas, economizando argamassa e até 40% de cimento se comparado às construções mais tradicionais. O tijolo ecológico tem 25 centímetros de comprimento, 12,5 de largura e 60 de altura. As máquinas produzem tijolos compactados a vinte toneladas.

________________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 28.11.99
Domingo