LG_jc.gif (3670 bytes)



Dois Toques
Lula Carlos

Um título merecido

Foi um sufoco, amigos, mas o título saiu no mais bonito e o mais disputado campeonato pernambucano. Dia 11, 11 anos sem ser campeão, 11 heróis em campo e 11 homens de ouro. Dois jogos, duas vitórias, e o título merecido. Um treinador ousado, até desabusado, mas já perdoado das coisas que falou. Muricy encheu o time de coragem e da bravura dos jogadores nasceram os heróis alvirrubros.

O hexacampeão pernambucano é também campeão do seu centenário. Pouco importa a quantidade de títulos que tantos apregoam, nos Aflitos vale a qualidade. Um timbuzinho de cem anos de cabeça erguida e passos firmes, e orgulhoso do que fez, vendo o Recife vestido de vermelho e branco. Gente ainda se abraçando e chorando. Carros buzinando e bandeiras tremulando.

Um time sem estrelas que ofuscou aqueles que apontavam os seus astros. Um time unido. As briguinhas dos jogadores entre si eram cobrança de mais empenho, de mais cuidado, de mais raça, e nada disso faltou. Agora, tudo é paz nos Aflitos. O Náutico realizou o seu sonho e está nadando de alegria. Deu um mergulho e quando voltou à tona trazia uma faixa de campeão.

Nadou de peito e colocou a faixa no peito. O Leão nadou e morreu na Ilha. A cobrinha nadou e morreu no canal. Morrer na praia é outra coisa. Como disse Caymmi, é doce morrer no mar. Mas para o Náutico chega, a maldição acabou. O Náutico aprendeu a nadar em todos os estilos, enquanto seus adversários só nadavam de costas. Aprendeu a nadar e a vencer, e ninguém segura mais o alvirrubro.

Agora, o nosso abraço para o presidente, e a todos os seus homens de ouro. André Campos assumiu a presidência do clube num momento difícil, quase morto, e corajosamente ordenou: – Levanta a cabeça, Timbu. O timbuzinho, com cara de Lázaro, levantou e conquistou um título inédito no Brasil, o de campeão do ano do seu centenário. É luxo ser Hexa. É chato ser Campeão do Centenário.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 13.07.2001
Sexta-feira