LG_jc.gif (3670 bytes)

SEQÜESTRO X
“Pedi para ele não trazer bandidos em casa”

Ao chegarem ao local do cativeiro de Camila Batista, no Cabo de Santo Agostinho, os agentes do Grupo de Operações Especiais (GOE) se depararam com um drama. A mãe e a mulher de João Manoel de Freitas, um dos bandidos da quadrilha de Jones preso na madrugada de segunda-feira, se assustaram ao encontrar, pela primeira vez, com o acusado algemado e em poder da polícia. A ambulante Sebastiana Maria de Freitas, 52 anos, a mãe, e a desempregada Wêinia Maria dos Santos, 20, a esposa, choraram muito e se disseram surpresas com a participação de João no seqüestro da menor Camila.

JORNAL DO COMMERCIO – Você sabia do envolvimento do seu marido com a quadrilha de John Caetano Rodrigues, o Jones, o bandido mais procurado do Estado?

WÊINIA DOS SANTOSConheço João há cinco anos e estou com ele há um ano. Quando ele saiu da cadeia, no ano passado, depois de cumprir pena por assalto, eu pedi para que ele evitasse trazer os amigos bandidos dele para casa. Por isso, fiquei chocada quando soube que ele estava preso por seqüestro.

JC – Você conhece ou já encontrou com Jones alguma vez?

WÊINIA DOS SANTOS – Nunca pensei que ele andasse com esse Jones. Não conheço ele, Deus me livre.

JC – Como você não soube da ação dos seqüestradores se a casa usada como cativeiro era de seu marido?

WÊINIA DOS SANTOS Eu paso a maior parte do tempo na casa de uma tia, na Muribeca, em Jaboatão. Estou doente e preciso ir ao posto de saúde de lá com freqüência. Eu via ele colocando frutas na geladeira, mas nunca achei que tivesse uma criança seqüestrada na casa do lado

JC – Você já conseguiu comprar alguma coisa com o dinheiro roubado por seu marido ou ganho em alguma ação dessas?

WÊINIA DOS SANTOSSe eu tivesse ganho algum dinheiro comigo, não morava numa casa miserável assim. Eu estaria melhor de vida e não estaria com problemas financeiros e não me preocuparia com o fato de estar desempregada. Desde que começou essa história de prisão, tudo o que eu tinha de melhor desapareceu: o som, a TV e o ferro de passar. Não sei onde estão minhas coisas.

JC – Como a senhora soube do envolvimento do seu filho com o seqüestro de Camila?

SEBASTIANA FREITAS – Eu moro no Jordão e fiquei sabendo pela TV. Hoje, vim aqui para tentar levar umas roupas para ele e encontrei essa cena destas.

JC – A senhora sabia que seu filho tinha envolvimento com criminosos?

SEBASTIANA FREITAS Ele estava tentando largar essa vida desde que saiu da cadeia. Ele tinha experiências trabalhando como ajudante de cozinha em hotéis e ajudante de padeiro. Desde criança, ele se acostumou a vender amendoim e picolé na praia, para me ajudar. Agora, aconteceu isso.

JC – O que a senhora acha que vai acontecer agora?

SEBASTIANA FREITAS Eu quero que ele me dê sossego. Sou diabética e já fiz três operações na perna. Trabalho todo domingo na praia e ganho, no máximo, R$ 10. Ainda tenho que agüentar esse sofrimento.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira