LG_jc.gif (3670 bytes)

SEQÜESTRO VIII
Quadrilha fez dois seqüestros ontem em Boa Viagem

Menos de 48 horas depois de Jones ter sido preso pela Polícia Civil, os outros onze integrantes da quadrilha do seqüestrador já começaram a agir para reunir dinheiro e libertar o líder. Somente durante o dia de ontem, a Polícia Civil registrou dois seqüestros relâmpago no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, que teriam sido praticados por comparsas de Jones que permanecem foragidos.

As vítimas dos seqüestros relâmpago foram obrigadas a fazer vários saques em caixas eletrônicos da região metropolitana, sendo soltas em seguida. Seus nomes não foram revelados. Os crimes foram confirmados durante uma entrevista de um dos supostos comparsas de Jones. Por conta disso, o comando da Polícia Civil já teria planejado mudanças na atuação do policiamento no bairro para impedir as investidas do grupo.

Esse mesmo comparsa de Jones teria dito que a quadrilha pretende fazer com que o chefe deixe o Presídio Aníbal Bruno pela porta da frente, depois de apertar a mão dos carcereiros e dos policiais. “Se ele ficar preso não vai ser por mais de um ano”, disse. Desde que foi preso, parentes e pessoas que representam Jones têm insistido na transferência dele para o presídio, o que confirma a denúncia.

O homem, que concedeu todas as entrevistas encapuzado, confirmou o envolvimento de Jones com policiais corruptos, destacando que ele foi preso na semana passada e, para ganhar a liberdade, teria dado três fuzis e R$ 5 mil aos agentes. Por isso, ficou preso por poucos dias.

VIATURAS QUEIMADAS – O comparsa de Jones também confirmou que a quadrilha ainda é composta de onze pessoas, das quais duas são de São Paulo e cinco do Rio de Janeiro. Além disso, garantiu que foi o chefe quem tocou fogo nas viaturas da Delegacia do Ibura, no ano passado. E que o fez diante de dois policiais. “Ele ameaçou os dois de morte e mandou que ficassem calados. Eles viram tudo. Jones estava muito irado porque tinham prendido um integrante do nosso grupo e não quiseram soltar”, denunciou.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira