LG_jc.gif (3670 bytes)

SEQÜESTRO IX
Mãe e mulher são impedidas de visitar preso

Com o reforço da segurança no Hospital da Restauração (HR), nem mesmo a mãe de John Caetano Rodrigues teve acesso ao sétimo andar, onde ele permanece internado. Maria José da Silva, 58 anos, e a companheira de Jones, Jamile Bezerra da Silva, 18, foram barradas, na manhã de ontem, quando tentavam visitá-lo.

Segundo Jamile, elas tiveram que solicitar uma autorização judicial para ter acesso ao prédio. “Quando tentamos entrar, pediram uma petição para nos autorizar a vê-lo. Fomos ao Fórum do Recife falar com o juiz, que permitiu a nossa entrada, mas ele ainda não assinou o ofício”, afirmou.

No final da manhã de ontem, elas foram embora sem conseguir falar com Jones. Maria José estava ansiosa para rever o filho, com quem não mantinha contato há mais de um ano. “Faz muito tempo que não falo com Jones, nem por telefone. Eu não procurava ele porque tinha medo”, contou.

Jamile Bezerra, que mantém um relacionamento com John Caetano há dois anos, disse que a última vez que conversou com ele foi no domingo passado, pouco horas antes da prisão. “Falei com Jones por volta do meio-dia, às 16h tentei ligar de novo para ele. Quando atenderam o telefone, escutei muitas vozes, mas ninguém me retornou”, lembrou.

De acordo com Jamile, desde que fotografias de Jones começaram a ser divulgadas pela polícia, o casal saiu de Jardim Atlântico, em Olinda, onde estava morando há quatro meses, e voltou para a Vila dos Milagres, no Ibura. “Lá o pessoal gosta muito de Jones e ele é muito respeitado”, afirmou a companheira do seqüestrador.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira