LG_jc.gif (3670 bytes)

Estrutura familiar dá resultado

Boa parte das empresas centenárias têm estrutura familiar. Avôs, pais e filhos administram o negócio e creditam boa parte do sucesso à esse tipo de estrutura. A rede de lojas Narciso, por exemplo, tem 163 anos de estrada, está na terceira geração de administradores e tem 44 unidades no Nordeste.

Não raro, as empresas proprietárias das marcas centenárias também são familiares. De geração em geração, o empreendimento vai prosperando embalado pela valorização vertiginosa de suas marcas. Como a Ferreira Costa, fundada em 1884 por um imigrante português em Garanhuns, no Agreste Meridional. Começou com um armazém de secos e molhados. Aos poucos foi crescendo e passou a importar produtos da Europa. Ferramentas, inchadas e arados. Na geração seguinte, ferragem e material de construção.

Em 1989, a Ferreira Costa lançou o conceito de home center, espécie de shopping center da construção, com a inauguração de uma loja com 15 mil m² de área construída, ainda em Garanhuns. Seis anos mais tarde, era inaugurada a filial em Recife. “As duas juntas têm capacidade para atender até quatro mil clientes por dia”, diz o diretor Guilherme Ferreira da Costa (já na terceira geração de administradores).

Segundo Ferreira da Costa, cerca de 1% do faturamento é destinado às ações de comunicação. “Precisamos fazer uma comunicação constante, porque nossos consumidores não são imediatos. São pessoas que procuram a loja esporadicamente para construir ou reformar a casa, ao contrário dos clientes de supermercados.”

Ele se baseia numa pesquisa da Associação Nacional de Revendedores de Material de Construção (Anamaco), que afirma que o brasileiro constrói uma casa a cada 25 anos e pinta, a cada três. “Mesmo que ele não vá construir ou reformar a casa, ele está com a nossa marca fresquinha na memória”, explica. Por isso, o investimento permanente em comunicação.

TRABALHO – Os administradores que estão à frente dessas marcas centenárias vão mais além e creditam boa parte do sucesso à organização familiar. A rede lojas Narciso, com 44 unidades no Nordeste, por exemplo, está na terceira geração e é um caso de sucesso. A marca está no mercado há 163 e ainda é muito forte no segmento de tecidos. No comando, a presidente Wanda Palmeira e os dois filhos, Narciso Neto e Newton Filho.

Para eles, manter o status de empresa familiar é receita de faturamento certo. “Para quê mudar num negócio que está dando certo?”, questiona Wanda, afirmando que o trabalho sempre foi levado muito a sério pela família. Acompanhar o mercado e investir em variedades de produtos e serviços também contribuíram bastante. Hoje em dia, além de tecido, a rede oferece roupas, decoração e moda feminina e masculina. “Estou me empenhando para aumentarmos a nossa presença no mercado de confecção. Especialmente a feminina.” O entusiasmo é tanto que o departamento de moda feminina vai ganhar uma marca própria. “Será a minha marca”, revela Wanda. (Simone Gouveia)

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 05.11.2001
Segunda-feira