LG_jc.gif (3670 bytes)

SANTA CRUZ
Lembranças de 99 dão esperanças no Arruda

Há dois anos os tricolores venceram a primeira partida fora de casa, contra o Sampaio Corrêa,

na última partida da 1ª fase. Se vencer o Vitória, em casa, e o Guarani, em Campinas, o time escapa

Em situação complicada, mas ainda sonhando em escapar do rebaixamento para a Segundona, o Santa Cruz tenta tirar forças para a sua missão quase impossível, lembrando a histórica passagem para a elite do futebol nacional, em 1999, quando os tricolores precisavam vencer a primeira partida fora de casa, contra o Sampaio Corrêa/MA, em São Luís, em jogo da última rodada da fase classificatória. A vitória contra os maranhenses, por 2x1, e a derrota do CRB, em casa, para o Remo, fizeram os tricolores passarem às quartas-de-final, na qual venceram a disputa contra o São Caetano e subiram para a Primeirona, ficando em segundo lugar, no quadrangular final.

Do grupo atual, somente o goleiro Nílson e o volante Batata, autor do gol da vitória na oportunidade, participaram da célebre campanha que fez o time retornar à elite depois de 11 anos na Segundona. “Em 99, a gente vinha de um empate em casa e precisava vencer de todo jeito. Agora, não podemos nem pensar em empatar. Temos de ganhar as duas partidas que nos restam. É um momento muito complicado, todo mundo diz que o time está rebaixado, mas eu ainda acredito”, diz Nilson.

O otimismo também é dividido pelo técnico Muricy Ramalho, que esta semana só fará treinamentos com o elenco à tarde para não sobrecarregar os atletas neste fim de temporada. “Enquanto tivermos chances, eu vou acreditar. Sei que está complicadíssimo pelo lado emocional, mas temos de fazer o nosso melhor e lutar até o fim”, explica.

Para o jogo contra o Vitória, no próximo domingo, Muricy não poderá contar com o volante Everaldo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e pode ficar sem Paulinho Andreolli, que será julgado, hoje à noite, pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), pela expulsão na partida contra o Juventude. Caso não seja absolvido, o meia ficará suspenso por dois ou três jogos, fato que poderia acelerar a rescisão de seu contrato.

JOÃOZINHO FORA – Já o atacante Joãozinho rescindiu contrato, anteontem. Ele havia ficado insatisfeito pela sua substituição, antes do término do primeiro tempo contra o América/MG, quando recuou perigosamente a bola para o goleiro Nilson.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira