LG_jc.gif (3670 bytes)

APRENDIZADO
Cabo ensina Informática em ônibus

Quatro escolas da zona rural do município recebem visitas regulares de um ônibus equipado com 20 computadores. Projeto prevê também instalação de laboratórios fixos

Um ônibus que transporta os passageiros para a era digital. Essa foi a solução que a Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho encontrou para levar a Informática às escolas da zona rural do município, onde até mesmo a rede de energia elétrica tem dificuldade de chegar. Trata-se do projeto Aprendizes Itinerante, que foi criado no ano passado e está sendo reativado após uma pausa de seis meses.

Nessa segunda etapa, iniciada na segunda-feira, mais duas comunidades passarão a receber visitas semanais do ônibus: as de Jussaral e Pau Santo, além de Pontezinha e Rosário, que já eram atendidas pelo programa antes de sua interrupção. “O total de crianças atendidas saltará para duas mil, entre estudantes da terceira série do Ensino Fundamental e jovens e adultos do Ensino Profissionalizante”, afirma o coordenador do projeto, Nelino Azevedo. Cada uma delas terá direito a uma hora de atividades com os computadores por semana. “O ônibus é climatizado e equipado com 20 PCs, podendo atender até 40 alunos por aula, nos turnos da manhã, tarde e noite.”

Outra novidade dessa segunda etapa é que os monitores serão os próprios professores das quatro escolas atendidas. “Capacitamos os docentes ligados à rede municipal de ensino para repassar os conhecimentos básicos sobre Informática para os alunos, porque não pretendemos adotar uma abordagem meramente técnica, mas multidisciplinar. O computador será usado para complementar as atividades de sala de aula”, explica o coordenador.

Para que os conhecimentos de Informática adquiridos pelos estudantes tenham maior aplicação na vida profissional, a coordenação do programa decidiu instalar Windows nos 20 micros. “Fizemos uma experiência com o Linux, mas não deu certo. Os alunos tiveram dificuldade e o programa não é tão bem aceito no mercado quanto os programas da Microsoft”, afirma.

Mas a Informática não chega só de ônibus para os alunos da rede pública municipal do Cabo de Santo Agostinho. A Prefeitura também está montando laboratórios fixos nas escolas da cidade. Até agora, sete unidades já foram beneficiadas com oito a 14 micros, dependendo da quantidade de alunos. O ensino de Informática nessas unidades segue os mesmos princípios do projeto Aprendizes Itinerante: “A computação é vista como instrumento de cidadania”, resume Nelino.

Além da filosofia, os programas compartilham também os problemas. Nem os micros dos laboratórios fixos nem os do itinerante dispõem de acesso à Internet. Esse já é outro projeto que vai demorar um pouquinho mais para sair do papel, de acordo com Nelino. “Do segundo trimestre do próximo ano não passa”, garante o coordenador, ressaltando que o prazo não vale, no entanto, para o ônibus. ‘Internet motorizada’ só no fim de 2002. Ou depois.

AMPLIAÇÃO – Apesar de contar apenar com recursos próprios para custear os programas, a administração pública já começou a estudar formas de ampliar o programa para as 90 escolas públicas do Cabo. “Até 2003, os computadores passarão a fazer parte do dia-a-dia de outras 20 ou 30 escolas”, promete o coordenador. Para atender à zona rural, a prefeitura está analisando se a melhor estratégia é disponibilizar mais ônibus ou investir na criação de infra-estrutura para depois montar unidades fixas.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira