LG_jc.gif (3670 bytes)

GUERRA AO TERROR IV
Mulheres vão às ruas em Cabul

Enquanto as afegãs resolviam tirar a burka e lutar por trabalho e escola, os Emirados Árabes Unidos anunciavam ontem no Bahrein o fim da discriminação contra as mulheres

CABUL – Mulheres afegãs participaram ontem, na capital afegã, da primeira manifestação pela igualdade de direitos e pela abolição da burka – o véu que cobre inteiramente o corpo. Todas as manifestantes decidiram levantar a burka em sinal de desafio e gritaram que querem voltar a estudar e trabalhar.

“A burka não faz parte da tradição afegã. No Afeganistão grande parte das comunidades utilizam o chodairi”, disse uma ex-jornalista, mostrando o véu que deixa o rosto descoberto.

A manifestação ocorreu no subúrbio de Micrayon 1, em uma atmosfera tranqüila. Os maridos e irmãos das mulheres ainda conservavam a barba longa, mas apoiaram os protestos. Integrantes das forças de segurança patrulharam o local, mas não interferiram na manifestação.

ABOLIÇÃO – Ontem o Conselho Consultivo (Majlis as-Shura) do Bahrein aprovou um projeto de lei que determina a abolição de todas as formas de discriminação contra as mulheres residentes no emirado árabe.

A informação foi dada pela agência kuwaitiana Kuna em Manama, capital do Bahrein, indicando que a decisão foi adotada no final da reunião semanal do Conselho.

Durante a sessão, o ministro barenita para Questões Parlamentares recomendou a adoção da medida porque isto reflete melhor a situação das mulheres na sociedade do Bahrein. A nova lei também tende a promover a igualdade de direitos entre os sexos em questões políticas, sociais, culturais, econômicas e profissionais.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira