LG_jc.gif (3670 bytes)

PREFEITURA
Manifestantes usam mote do PPB para atacar PCR

Líderes comunitários ligados à Federação Metropolitana dos Bairros aproveitam solenidade de

lançamento dos primeiros cartões de identificação do SUS para protestar contra o Governo João Paulo

por MÔNICA CRISÓSTOMO

O prefeito João Paulo (PT) e o secretário municipal de Saúde, Humberto Costa (PT), foram surpreendidos ontem com uma barulhenta manifestação de protesto, durante a solenidade de entrega dos primeiros cartões de identificação do Sistema Único de Saúde (SUS) no Recife, na comunidade da Vila União, Iputinga. Com faixas, cartazes e até um carro de som, cerca de 70 pessoas gritaram palavras de ordem contra a administração municipal, usando, inclusive, frases veiculadas no programa do PPB, que atacou o Governo João Paulo na TV.

“O PT é bom para reclamar e ruim para governar. Mas não vamos desistir. O prefeito foi quem nos ensinou a ocupar, resistir e brigar. Nós não mudamos de lado, foi ele que parece ter esquecido o passado”, criticou a líder comunitária Neide Santana, ligada à Federação Metropolitana dos Bairros. A entidade tem ligações com o ex-secretário municipal de Políticas Sociais (na gestão Roberto Magalhães) Chico de Assis. Filiado ao PMDB, Chico é hoje secretário-adjunto de Educação no Governo Jarbas.

A cerimônia, prevista para começar às 9h30, acabou atrasando por conta do protesto. O prefeito só chegou ao local após o reforço da segurança. João Paulo não escondeu a surpresa ao se deparar com o protesto. Apesar do “susto”, o prefeito quebrou o protocolo e tentou conversar rapidamente com alguns dos líderes da manifestação.

Representantes do Movimento Trabalhadores Sem Teto (MTST), que reivindicam a posse de um terreno localizado no Parque Caiara, ocupado em agosto e batizado de “Ocupação Prefeito João Paulo”, também engrossaram o protesto. “Queremos uma audiência”, gritavam do lado de fora do posto de Saúde. Após muita insistência, os representantes do MTST - movimento que possui ligações com o PT – conseguiram falar com o prefeito. “Tivemos que chegar junto dele na marra e cobrar uma audiência. Ele se comprometeu em nos receber, vamos ver se vai cumprir”, afirmou Eduardo Silva.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira