LG_jc.gif (3670 bytes)

PARTIDOS
Itamar sofre nova derrota na executiva do PMDB

BRASÍLIA – O governador de Minas Gerais, Itamar Franco, sofreu ontem nova derrota na executiva nacional do PMDB, mas o placar de 11 votos a três não encerrou a novela em torno das prévias partidárias para escolher o candidato peemedebista na sucessão presidencial. Para evitar contestações, o presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), propôs que os 57 membros do conselho político examinem a decisão da executiva, fixando em 3.870 os eleitores das prévias, quando Itamar defendia um colegiado de 100 mil.

Mero formalismo. A cúpula do partido avalia que não há o menor risco de derrota no conselho, até porque é a quinta vez consecutiva que vencem o governador. Mas pode não ser o último embate. Na noite de ontem um grupo de itamaristas procurou o governador, com a proposta de convocar uma convenção extraordinária para rever o processo das prévias.

O grupo não foi recebido por Itamar, mas pelo secretário de Governo, Henrique Hargreaves, que fez um relato animador: “O governador me disse que a decisão da executiva merece avaliação profunda, na sua condição de candidato inscrito às prévias, especialmente tendo em vista a exclusão dos vereadores”. Foi o sinal de que Itamar pretende seguir brigando no mínimo para incluir os 11.373 vereadores do PMDB entre os votantes.

Somados aos quase quatro mil eleitores já garantidos pela executiva, os vereadores podem dar mais competitividade ao governador nas prévias. Afinal, o número fica bem mais próximo dos 20 mil que o representante do Governo de Minas em Brasília, Israel Pinheiro, considera fundamentais para escapar ao controle dos governistas e dar vitória ao mineiro, contra o senador gaúcho Pedro Simon.

Na reunião de ontem, a defesa de um quadro mais amplo, com a participação dos vereadores e dos 2.614 diretórios municipais, ficou por conta apenas do líder do partido no Senado, Renan Calheiros (AL), do senador Carlos Bezerra (MT) e do deputado Renato Vianna (SC).

Decidiu-se limitar o voto aos 1.284 prefeitos, aos membros dos 27 diretórios estaduais, 24 senadores, 88 deputados federais e 159 estaduais, além dos cinco governadores e do ministro da Integração Nacional, Ney Suassuna.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira