LG_jc.gif (3670 bytes)



Preview
Melissa de Andrade

Game over pra lentidão

Não tem usuário de computador esperando com mais ansiedade pelo acesso à Internet em banda larga do que os gamemaníacos. Pode até ter alguém louco por Internet e que não goste de jogar, mas como ‘categoria’ de internautas, os fanáticos pelos games devem ganhar em número.

Depois que você experimenta a alta velocidade, jogar online nunca mais é a mesma coisa. Mesmo que seja a modalidade tida como ‘lenta’, que é – preparem-se, donos de modems 33.600 – de 128 Kbps, o encanto é imediato. Todos os games a 56 Kbps parecem estar em câmera lenta. Além da velocidade, tem a estabilidade: a conexão tem um índice muitíssimo menor de ‘queda’. Quando não é praticamente inexistente.

Para os felizardos norte-americanos (felizardos em termos de tecnologia, naturalmente, esqueçamos por um momento os ataques terroristas), a tão esperada banda larga chegou cedo e já se espalhou bastante. O Yankee Group estima que até o fim do ano três em cada quatro lares conectados estarão em área de abrangência da conexão em alta velocidade.

Não existe essa comparação no Brasil, mas o percentual certamente perde feio por aqui, especialmente na nossa Região, onde a maior parte das opções ainda é em acesso condominial. Os que ainda não podem se gabar da rapidez da conexão (seja porque ainda é caro, seja porque não moram em área coberta pelo serviço) têm mesmo é que torcer. Afinal, só quem sofre muito com acesso à Internet por linha discada é que sabe dar o devido valor à conexão em banda larga.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira