LG_jc.gif (3670 bytes)



Toques
Teles

A volta da cantora com pássaros na voz

Um disco diferente. O mínimo que se pode dizer de VozVoixVoice (MCD), o novo CD de Tetê Espíndola, com músicas compostas pelo francês Philippe Kadosch. Atenção, graves, médios e agudos, como diria Tim Maia, Tetê Espíndola passeia por todos esses registros, indo do agudo controlado ao pianíssimo, fazendo 128 (sic) emissões de vozes diferentes, mas sem exibicionismo nem marabalismos vocais. Acrescente-se a isso, dezenas de efeitos, que vão de estalos de língua a silvar de serpentes.

“A idéia do CD surgiu em uma de minhas viagens pelo mundo. Depois de pensar em diversas experiências musicais, tive uma idéia: desenvolver um trabalho pautado na voz humana como figura primordial e essa foi a sugestão que fiz a Kadosch, o compositor a quem fui apresentada por Arrigo Barnabé, havia sete anos”, explica a cantora, no release do álbum.

Marcada pelo megasucesso Escrito nas estrelas, de 15 anos atrás, Tetê Espíndola, foi da chamava Vanguarda Paulistana, com Arrigo Barnabé, Itamar Asumpção etc. Dona de uma voz rara, somente agora ela recebe uma produção que explora seus dotes sem que ela seja tomada por uma freak, um show de circo.

VozVoixVoice, é um disco é conceitual, que louva a ecologia em tons suaves, sem descambar para a new age soporífera, nem para o naturismo xiita, tendo o tempo como leit motiv. Tetê Espíndola canta contemporary world music, na melhor acepção da palavra. Os títulos das canções dão bem uma pista do que está no CD: Arabian Tango é “a dança do tempo na sinuosidade musical do chamador de serpentes” e Baiaoriental, “o tempo elástico do primeiro movimento dos ragas da Índia do Norte/Nordeste”.

Das bandas da Paraíba para o Rio de Janeiro

A Cabruêra mudou-se de Campina Grande para o Rio de Janeiro. O CD de estréia do grupo sai da independência e ganha selo da Nikita. Ontem, os caras tocaram no Blém Blém, em Sampa, e dias 26 e 27 dividem o palco do Teatro Rival, no Rio, com o Cordel do Fogo Encantado.

Gil faz show domigo

Gilberto Gil, aterrissa no Recife, hoje, vem direto da Jamaica, para dirigir e apresentar o PercPan. Em Kingston, ele gravou algumas das faixas do CD em que homenageia Bob Marley. No domingo, o baiano continua no embalo e faz um show na praça do Marco Zero, dentro do projeto A Paz Invadiu o Meu Coração, uma iniciativa da BCP.

Viagem do maracatu

O tradicional Maracatu Leão Coroado embarcou no feriadão para uma turnê que terá duração de um mês. Mestre Salustiano acompanha a turma, ministrando oficinas de rabeca e percussão. O batuque pernambucano passa por Salvador, Rio e São Paulo. A iniciativa é da África Produções e Governo do Estado.

O fole vai roncar

No dia 1º de dezembro, no Nosso Quintal (ao lado da Chesf, no Bongi) rola o maior forró do ano, o IV Encontro de Sanfoneiros. Serão 30 sanfoneiros, e mais vinte forrozeiros, para um arrasta-pé, que começa às 18 horas, com missa celebrada pelo Padre Reginaldo Veloso, e não tem hora pra acabar. A tertúlia é uma homenagem a Luiz Gonzaga.

Pelos palcos

O baterista Andrew Scott Potter faz show amanhã, no Pedra de Toque, com os feras do projeto Mangue Jazz , em benefício do Imip. *** Sábado, Alex S, ex-Coração Tribal, apresenta-se no Pátio de S. Pedro. O cantor e guitarrista grava o primeiro CD solo. *** Dia 25, Geraldo Maia, faz show, no Teatro Apolo. O repertório é do CD Astrolábio.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 21.11.2001
Quarta-feira