LG_jc.gif (3670 bytes)

NA TERRA DE PINZÓN III
A maior exportadora de morangos do mundo

Na época da colheita, o número de moradores da cidade se quadriplica, e surgem diversas cooperativas. Município também carrega o título de ‘o mais limpo da Europa’, e fica a apenas uma hora da instigante Sevilha

A pequena Palos de La Frontera fica na província de Huelva, a apenas 12 quilômetros da capital Huelva, região da Andaluzia, Sul da Espanha. Fica distante de Madri, mas bem perto de Sevilha, cidade cosmopolita onde os shows de flamenco e as touradas aguardam os turistas.

De Palos para Sevilha – onde está enterrado o corpo do navegador Vicente Yáñez Pinzón, na igreja de Triana –, são apenas 95 km. Aproximadamente uma hora de viagem, num trajeto de paisagens que misturam cenas rurais e de industrialização. Deve ser outro ponto do roteiro, assim como a capital Huelva.

Palos preserva muito bem a sua história, mas não vive apenas do slogan “Cuna del Descubrimiento” (berço do descobrimento). É um município rico, com um pólo industrial forte, que ainda carrega os títulos de cidade mais limpa da Europa e de maior exportador de morango do mundo. Para se ter uma idéia do que se movimenta em termos de produção e exportação, basta dizer que, na época da colheita, de fevereiro a junho, a população de 7.500 habitantes se multiplica por quatro. Vem gente de outros países europeus e africanos se integrar ao mutirão. Algumas escolas municipais têm salas de aulas prontas para receber os filhos dos imigrantes, bem como as cooperativas produtoras mantêm alojamentos para acolher os trabalhadores. O sistema de cooperativa, sonho de muitos trabalhadores em todo o mundo, é uma realidade. A maior delas, a Cora, na qual seis mil pessoas trabalham na época da colheita do morango, é composta por 250 sócios. O interessante é que o chamado Polígono do Morango foi criado há apenas 15 anos.

O pólo industrial reúne cerca de 30 indústrias, entre elas uma refinaria – a Refinaria La Rábida, do grupo Cepsa (Companhia Espanhola de Petróleo SA). São produzidos em Palos todos os derivados do petróleo, produtos de limpeza, conservantes, herbicidas, produtos farmacêuticos e material para pintura e fabricação de pneus. A maior parte da fumaça que sai das chaminés industriais, segundo autoridades locais, é de vapor de água, que não polui. De cidade portuária, pode-se dizer que Palos (o nome significa lagoa) soube crescer mantendo sua história e abrangendo outras características.

O ROCÍO –A cidade conta ainda com outras duas atrações próximas, que merecem visitas: o Balneário de Mazagón e o Santuário de Rocío. O balneário tem uma população fixa de três mil moradores, número que também se multiplica no verão.

Já o santuário de Rocío, no município de Almonte, é um local de devoção para onde se dirigem moradores de toda a Andaluzia. As cidades mantêm alojamentos (chamam de irmandades) para receber os fiéis que chegam a Rocío, a maioria a cavalo ou a pé. É um local de terra batida, sem pavimentação, onde há exibições hípicas e festividades religiosas. (C.C.R.)

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 15.11.2001
Quinta-feira