LG_jc.gif (3670 bytes)

LANÇAMENTO
Doblò, multivan para toda obra

Carro da Fiat pode servir como veículo de carga ou para o transporte de até sete pessoas. Meta é agradar famílias, jovens e pequenos negociantes

RIO QUENTE (GO) – Carro para família, carro para jovens e carro para trabalho. A Fiat juntou essas três características no Doblò, um multiuso que pode carregar até sete passageiros ou até 3,2 mil quilos de carga. À primeira vista, é feioso, com seu formato de bota que caracteriza os concorrentes no segmento: Citroën Berlingo e Renault Kangoo. Mas o espaço e conforto interno cativam. Concebido para agradar usuários de station wagons e de monovolumes, o Doblò é descrito pela Fiat como uma multivan que se adapta a vários usuários.

É prático para ser usado em pequenos negócios como floriculturas, padarias e papelarias, espaçoso para ser carro da família e arrojado para atingir o público jovem. O carro é totalmente personalizável. Pode vir com três ou quatro portas (as traseiras são deslizantes), o porta-malas pode ter tampa basculante ou portas assimétricas. Também pode ser um furgão ou possuir assentos para cinco, seis ou sete pessoas.

Montado numa plataforma totalmente nova, em Betim (MG), o Doblò foi concebido de dentro para fora. Primeiro, procurou-se o máximo de espaço interno. Assim, pessoas com 1,90m podem se instalar confortavelmente em qualquer assento. Do banco ao teto, o carro tem 1,15m de altura na frente e 1,10m atrás, além de 1,45m de largura na frente e 1,50m no banco traseiro. No quesito visibilidade, a preocupação não se limitou a garantir ampla área ao motorista – que também sai ganhando pela posição alta de guiar. Os bancos de trás são mais altos, para que os passageiros acompanhem o que acontece do lado de fora.

O painel de instrumentos é inovador, com a alavanca de câmbio integrada e todos os comandos acessíveis. O carro vem com computador de bordo de série, fornecendo dados sobre quilometragem, trajeto, abastecimento, estimativa de hora de chegada.

O Doblò será vendido em quatro versões – duas de passageiros (motor Fire 1.3 e 1.6 Corsa Lunga, ambos de 16V) e duas de carga (EX 1.3 e ELX 1.6). A meta é produzir 1,3 mil carros/mês, mil para passageiros e 300 nos segmento cargo. A versão mais barata (Cargo 1.3) custará R$ 22,1 mil A top de linha, ELX 1.6 para passageiros, sai por R$ 31,5 mil (esse preço inclui de série ar-condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros elétricos e trava elétrica). A quarta porta, atrás do motorista, custa R$ 800. O sexto banco sai por R$ 350. Se a opção for instalar mais dois bancos, custará mais R$ 650. O Doblò chega às concessionárias na próxima semana.

___________________________________


Jornal do Commercio
Recife - 18.11.2001
Domingo