Kieza

O artilheiro

O capixaba Walker Marçal Almeida, 25 anos, chegou nos Aflitos sem fazer muito alarde. Ele não daqueles que gostam de fazer marketing para conquistar o torcedor. Mas foi dentro de campo, lutando pela bola como se fosse um prato de comida e fazendo gols que Walker Marçal, ou melhor, Kieza conquistou seu espaço no time do Náutico e também o coração da torcida alvirrubra. Kieza fez boas jogadas, correu muito, ajudou o sistema de marcação e balançou as redes 21 vezes nas 32 partidas que entrou em campo. Foi o artilheiro da competição e, sem dúvida alguma, uma das principais peças do Náutico na campanha vitoriosa na Série B.

fechar

Marcelo Cavalcante

O capixaba Walker Marçal Almeida, 25 anos, chegou nos Aflitos sem fazer muito alarde. Ele não daqueles que gostam de fazer marketing para conquistar o torcedor. Mas foi dentro de campo, lutando pela bola como se fosse um prato de comida e fazendo gols que Walker Marçal, ou melhor, Kieza conquistou seu espaço no time do Náutico e também o coração da torcida alvirrubra. Kieza fez boas jogadas, correu muito, ajudou o sistema de marcação e balançou as redes 21 vezes nas 32 partidas que entrou em campo. Foi o artilheiro da competição e, sem dúvida alguma, uma das principais peças do Náutico na campanha vitoriosa na Série B.

Foi nos Aflitos que Kieza reencontrou seu melhor futebol. Revelado pela Desportiva Capixaba em 2005, o atacante começou a despontar para o futebol nacional quando defendeu o Fluminense quatro anos depois. Nas Laranjeiras, alternou bons e maus momentos, até ser emprestado para o Cruzeiro, onde não conseguiu se firmar na equipe. Foi cedido para a Ponte Preta e, de lá, chegou ao Náutico.

Pois foi justamente vestindo a camisa alvirrubra que Kieza conseguiu mostrar o seu valor. "Estou vivendo o melhor momento da minha carreira. Encontrei uma família no clube e estou muito feliz", afirmou o atacante, que tem contrato com o Náutico até o final da temporada. Certamente, após esta conquista, a diretoria alvirrubra vai tentar a renovação de seu contrato.

Assim como qualquer ídolo, a relação de Kieza foi de amor e ódio. Na importante vitória sobre o Vitória-BA, o atacante saiu dos Aflitos ovacionado, após ter marcado os dois gols da vitória, por 2x0. Foi assim também no triunfo por 3x2 sobre o Americada, quando fez os três gols do Timbu. Já no empate em 0x0, contra a Portuguesa, não suportou os xingamentos dos torcedores e foi tomar satisfação no alambrado. O clima esquentou e Kieza foi retirado do gramado pelos companheiros de equipe.

Mas, como se vê, a relação de Kieza com o Náutico foi marcada mais por os bons momentos de alegrias. Mesmo de cabeça quente e com uma possível ida para o exterior tirou o foco da conquista de uma das vagas na Série A em 2012. Kieza escreveu uma bela história no Timbu. E a torcida espera que ele escrevea ainda mais.

fechar