Qual a importância do Santa Isabel para Pernambuco? O que o Teatro representa para a cultura e a história do Estado? Confira as opiniões de personalidades políticas e culturais

- Aramis Trindade - Ator
- Arlete Sales - Atriz
- Carlos Veiga - Orquestra Sinfônica do Recife
- Fernando Spencer - Jornalista e cineasta
- Geninha da Rosa Borges - Atriz
- Germano Haiut - Ator
- Jarbas Vasconcelos - Governador de Pernambuco
- João Paulo - Prefeito do Recife
- Reinaldo Oliveira - Ator e diretor do TAP

 

 

 

 

 

 


Aramis TrindadeAramis Trindade - Ator
"É uma pena que o Teatro Santa Isabel tenha passado tanto tempo fechado. Espero que daqui em diante, ele volte a abrigar os grandes espetáculos e que o tempo gasto com as reformas tenha valido a pena. Seria absurdo ele voltar a fechar as portas novamente do teatro que é o cartão-postal da cidade.

Tenho uma ligação especial com o Teatro Santa Isabel, já que tive a oportunidade de representar algumas peças nele. Lembro, por exemplo, da casa lotada em 88, onde eu estava sendo representado O Burguês Fidalgo, de Molière, com direção de [Antônio] Cadengue. Foi maravilhoso.

Diferente dos outros teatros, atuar no Santa Isabel é mais emocionante e não sei muito bem dizer a razão disso. Talvez seja por tudo que o Santa Isabel representa para nós ou pela sua arquitetura imponente de teatro clássico. A verdade é que a grande casa de espetáculo é especial demais, desde os camarins e terraços às instalações elétricas e hidráulicas. É tudo muito mágico."

VOLTA PARA O TOPO




Arlete SalesArlete Sales - atriz

"Um teatro é a maior referência cultural de uma cidade que reflete em todo o país. No Santa Isabel eu vivi a grande emoção de receber o primeiro prêmio da minha carreira, que foi o prêmio Samuel de melhor revelação feminina. Parabéns à minha terra pela volta do nosso belo teatro."

VOLTA PARA O TOPO

 

Carlos VeigaCarlos Veiga - ex-maestro da Orquestra Sinfônica do Recife

"O Teatro Santa Isabel foi um teatro construído nos moldes dos teatros europeus da época, com pequenas adaptações à realidade social do Recife. A restauração desse teatro é, sobretudo, uma conservação da maior importância para a arquitetura mundial, porque, com a segunda guerra mundial, a Europa perdeu muitos teatros semalhantes ao nosso.

Depois de seis longos anos voltaremos a ter condições climáticas, de acústica e de iluminação adequadas para a Orquestra Sinfônica do Recife trabalhar direito. Depois desse tempo de grandes sacrifícios, a orquestra deve ser recebida com flores e fogos de artifícios."

VOLTA PARA O TOPO

 

Fernando SpencerFernando Spencer - Jornalista e cineasta

"A reinauguração do Teatro Santa Isabel é um fato da maior importância para o Estado e para o País porque representa o resgate da nossa história e a valorização daquele que é um dos patrimônios artístico e cultural mais bonitos do Brasil.

Fui por pouco tempo diretor do Teatro Santa Isabel, na década de 70, e o período que passei à frente da casa me encheu e alegria e boas lembranças. Presenciei uma das reformas do Santa Isabel, para a instalação do ar condicionado, mas nada se compara à obra e ao tempo gasto com a restauração feita recentemente. Espero que o Santa Isabel volte a ser referencial para todos os pernambucanos. "

VOLTA PARA O TOPO

 

Geninha da Rosa BorgesGeninha da Rosa Borges - atriz

Eu militei durante 59 anos da minha vida no Teatro Santa Isabel e por isso guardo um amor e idolatria imensos por ele. Nele, o Recife teve a oportunidade de assistir apresentações culturais que não chegavam ao Sul do País. Talvez pela geografia estratégica que deixava o Recife na rota dos europeus, por aqui passaram coisas fantásticas. Não existe até hoje teatro que se iguale ao Santa Isabel.

E bastava pisar no Teatro Santa Isabel para garantir a consagração. Como diz o folclorista Luiz da Câmara Cascudo, "O Santa Isabel consagra para todo o Nordeste. Bastava dizer-se: 'cantou no Teatro Santa Isabel' para a credencial constituir-se em cheque descartável em qualquer ponto.." .

Foi lá que, em 1941, num show chamado Noite de Estrelas, que eu pisei pela primeira vez no seu palco. Era uma apresentação beneficente em prol dos leprosos, porque naquela época moça de família não podia encenar, a não ser por motivos nobres, como a caridade. Depois disso, Valdemar de Oliveira me convidou para fazer parte do Teatro de Amadores de Pernambuco."

VOLTA PARA O TOPO



Germano HaiutGermano Haiut - Ator
"O Teatro Santa Isabel é um marco para a cidade do Recife. Ali foi criada toda uma geração que teve a oportunidade de assistir e fazer teatro de qualidade. A grande preocupação com a reinauguração da casa de espetáculos é saber como dar continuidade a isso. Quais são os profissionais, por exemplo, que vão manusear os equipamentos de última linha instalados recentemente? Fica a pergunta.

Não consigo tirar da minha cabeça algumas imagens das grandes apresentações no Teatro Santa Isabel. É algo sensorial, como se fosse uma troca de sentimentos entre o público e os atores, em que se transmite e recebe de volta a mesma energia. O Santa Isabel é muito intimista e sua acústica e arquitetura favorecem essa relação. Não existe nada igual.

Nada me marcou tão profundamente quanto o Teatro Santa Isabel. Lembro, em 1978, quando encenei Galileu Galilei. Estávamos vivendo um momento político muito difícil, no qual a censura predominava com severidade. O teatro acabou sendo a saída. Um pouco do que o povo queria dizer estava no texto do personagem principal. A platéia, que lotou completamente a casa, aplaudia euforicamente a cada fala. Fomos obrigados a repetir o espetáculo, que tem uma duração de 2h40."

VOLTA PARA O TOPO




João Paulo - Prefeito do Recife

"Estamos muito felizes em devolver aos recifenses o Teatro Santa Isabel restaurado, reformado e modernizado.

Um monumento tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional que volta a funcionar para o benefício de todos. Foram necessárias obras de segurança, restauração, manutenção e melhorias nas instalações. Só assim podemos afirmar que o Teatro Santa Isabel está à altura de seu tempo, de sua história e de seu público.

Um consagrado palco de óperas, dramas, concertos, comédias, solenidades, bailes, festas e jantares. Um ponto de encontros políticos, sociais e culturais. Recebe, agora, um tratamento digno.

Restaurar a sua originalidade, inclusive em cores. Preservar sua história, com o minucioso trabalho realizado pelos nossos técnicos. Modernizar o atendimento com a bilheteria computadorizada e as melhorias acústicas. Criar um ponto de encontro com a cafeteria funcionando diariamente. Inverter, também aí, as prioridades, promovendo inclusão social, com os ensaios gerais abertos ao público e realizando espetáculos populares.

Ainda está em andamento o serviço no salão nobre, que deverá ser concluído no ano que vem, mas isto não impede o seu imediato funcionamento.

Com o Teatro Santa Isabel reaberto, o nosso sentimento é de dever cumprido. A nossa sensação é de felicidade. A nossa responsabilidade é fazer um Recife cada vez melhor."


VOLTA PARA O TOPO





Jarbas VasconcelosJarbas Vasconcelos - Governador de Pernambuco

"Para mim, o Teatro Santa Isabel é um marco na cultura pernambucana. Sempre me preocupei com as notícias sobre as dificuldades de manutenção do prédio e de sua recuperação. Por conta disso, no último mandato de prefeito, optei por fazer uma recuperação do teatro que não representasse apenas mais uma recauchutagem, como as muitas que foram feitas, e discuti com Raul Henry, então secretário municipal, um projeto amplo que levasse o teatro a readquirir de forma mais ampla possível suas carcaterísticas originais, a ter um novo sistema hidráulico e elétrico e um ar condicionado moderno. O projeto foi feito, iniciamos a obra, que o prefeito Roberto Magalhães prosseguiu e concluiu, com a ajuda do Governo do Estado. A reinauguração do teatro é um exemplo do trabalho em parceria que realizamos com o prefeito Roberto Magalhães e é um motivo de orgulho para o Recife."

VOLTA PARA O TOPO

 

Reinaldo OliveiraReinaldo Oliveira - Ator e diretor do Teatro de Amadores de Pernambuco

"O Teatro Santa Isabel é a sala de visitas do Recife porque ele é um templo que tem a tradição de abrigar grande parte da produção artística da sociedade pernambucana e também brasileira. A sua reabertura é um alerta para que os passos da cultura sejam mantidos sem concessões aos abastardamentos da arte.

Em particular, o Teatro Santa Isabel representa as minhas próprias raízes. Ali eu pisei pela primeira vez em 1939. Dali em diante não me afastei mais dele pelo fato do meu pai, Valdemar de Oliveira, ter sido por 12 anos diretor. E também pelo fato de dali ter sido criado o Teatro de Amadores de Pernambuco (TAP), que teve o Santa Isabel como sua sede até conseguir seu teatro próprio, em 1971. Ali foi a casa do TAP e guardo com muita emoção tudo o que foi realizado ali em benefício do nosso Estado.

Em relação a essa reforma, não consigo entender alguns pontos. Como é que se passa cinco anos para se reformar um teatro que já estava pronto? Tenho algumas críticas do ponto de vista técnico, mas nada que venha a tirar o brilho de sua reabertura. Alguns detalhes da reforma do palco mesmo não obedeceram o formato original. O palco foi rebaixado e planificado, prejudicando, por exemplo, a visão dos pés dos bailarinos.

No Teatro Santa Isabel eu tive um curso de arte dramática, vendo se apresentar diversas companhias nacionais. Lá eu assisti à representação de grande nomes da comicidade, como Mesquitinha, Oscarito, Grande Otelo, Jaime Costa, Procópio e Bibi Ferreira, entre outros. Deus queira que a nova geração de recifenses tenham, com a reabertura do teatro, a oportunidade de crescimento cultural que eu tive. E é isso que esperamos".

VOLTA PARA O TOPO