QUINTAL DA HORA

Comida de boteco requintada

O último restaurante da Rua da Hora (nº 855) também foi um dos últimos a ser inaugurado no mais novo polo gastronômico do Recife. Começou como Boteco da Pizza, em agosto de 2008, e, recentemente, ganhou novo nome. Agora se chama Quintal da Hora. A mudança aconteceu exatamente para ampliar o conceito de bebericar ou beliscar. "O nome pizza acabava nos limitando. As pessoas achavam que não tínhamos outras opções no cardápio", afirma uma das proprietárias, a arquiteta Thaís Góes. Na época, o menu já contemplava aqueles que queriam almoçar de verdade, mas o novo nome também trouxe novidades. Um cardápio que não deixa de lado o rol de petiscos, mas investe também em pratos individuais.

A dupla de empresários Thiago e Thaís Góes ainda têm outro desafio: manter a qualidade da casa, impressa em grande parte pela parceria com o chef e restaurateur Sérgio Arno. "A parceria não existe mais, porém mantemos os pratos criados por ele e ampliamos nosso cardápio com novas receitas", explicou Thaís. Com as portas abertas há pouco mais de quatro meses, o público ainda está sendo conquistado. O empresário Orlando Araújo é um dos clientes que experimentou o lugar e aprovou: "É bem amplo, tem bom atendimento e a comida é muito boa. E também não é caro", disse. Orlando, que trabalha na Ilha do Leite, muitas vezes enfrenta o trânsito da Avenida Agamenon Magalhães para almoçar em um dos restaurantes da Rua da Hora, por isso o endereço foi escolhido a dedo pelos donos do Quintal. "Acho que hoje a Rua da Hora é o lugar mais bacana para se comer no Recife", diz Thaís.

O restaurante funciona em um belo casarão, reformado para atender as necessidades do empreendimento. Amplo, tem dois ambientes. No calor do meio-dia, os clientes acabam preferindo a área interna, que é climatizada. A casa tem espaço suficiente para receber bem até 150 pessoas.

A página de petiscos do Quintal da Hora é bem variada, com pastéis, coxinha, empada, bolinho de macaxeira, espetinhos, minibúrgueres, calabresa e cebola assada - com preços a partir de R$ 3,70. As famosas lascas de pizza, que estão como entrada no cardápio, não são servidas na hora do almoço. As pizzas da casa têm massa fina, com 17 tipos (de R$ 28,10 a R$ 34,80). A carta de bebidas também não fica atrás, com marcas variadas de cerveja e cachaça.

Existem poucas opções de pratos individuais ou para duas pessoas, mas são bem diversificados. Vão de massas a carnes, passando também por peixes. Se a pedida é massa, uma boa opção é o nhoque ao molho pelatti e mussarela de búfala (R$ 19,80), preparado com massa exclusiva da casa. Thaís Góes revela que o filé à parmegiana (R$ 33, para duas pessoas) )está em primeiro lugar na relação dos mais pedidos. "Mesmo nos pratos mais simples, procuramos manter a qualidade, com pastas italianas diferenciadas", garante a proprietária. Na lista, ainda estão o galeto desossado com feijão verde, arroz, farofa e vinagrete; escalope de filé mignon ao molho de vinho tinto com espaguete na manteiga e ervas (R$ 18,90); penne com peito de frango em cubos ao molho branco, champignon e ervas finas (R$ 19,80) e tilápia ao molho de alcaparras com legumes ao azeite e arroz branco (R$ 19,50).

Para os que estão com pressa ou querem dispensar uma refeição mais elaborada, há os sanduíches (milanesa de filé com queijo, pernil, bauru, costelinha de porco), que ficam entre R$ 13,10 e R$ 17,90. Diante de tantas opções, uma dica é deixar espaço para a sobremesa. A especialidade da casa é o brigadeiro na colher. É simples e, ao mesmo tempo, irresistível.

SERVIÇO
Endereço:Rua da Hora, 855
Bairro: Espinheiro
Telefone: (81) 3221.1805
Culinária: italiana e carnes
Hora do almoço: Terça a domingo, a partir das 12h
Preço: a partir de 18,50

Voltar para o topo

JC OnLine - Jornal do Commercio
Todos os direitos reservados
Gustavo Belarmino
Reportagem, fotos e vídeos
Inês Calado
Reportagem
Rodrigo M. Paixão
Design, HTML e CSS
Alexandre Belém e Hélia Scheppa
Fotografias