Pernambuco conviveu por décadas com o maior manicômio do Brasil. A reforma psiquiátrica, porém, indica um novo modelo de tratamento que prevê mais qualidade de vida ao paciente, seja no retorno ao lar, seja em atividades terapêuticas singulares. O atendimento também se descentralizou, mas ainda há desafios para o Estado, quinto colocado no ranking nacional de leitos psiquiátricos. O especial traz um panorama atual da saúde mental e histórias de pessoas que todos faziam questão de esquecer.