Estudo Sócioeducacional do Morador de Rua


                            A Associação Minha Rua Minha Casa junto a diversas outras instituições, faz parte do                            Fórum de Estudos sobre a População Adulta de Rua. Neste fórum foi e ainda são discutidos
                     os problemas, a vivência e as soluções para a exclusão social enfrentada pelo morador de
                      rua. Apoiada neste órgão, a equipe de pesquisas Nova, representada por Vicent Muños,
                      publicou um livreto sobre a metodologia empregada na sócioeducação do morador de rua.
                     O texto se baseia em mais de vinte anos de dedicação ao assunto, de instituições  do Brasil
                     
inteiro.
                            Nesse registro de experiência, o livreto ressalta que as instituições  ao se defrontarem 
                     com o problema da exclusão social  e especificamente do morador de rua, ocorreu-lhes  de
                     imediato a pergunta sobre contra o que estariam lutando, quais os problemas a serem
                     enfrentados. Pensando exatamente nesse aspecto, foi elaborado o perfil do morador de rua hoje,
                     e conseqüentemente, identificado o que ele precisa para se integrar ao nosso  meio social.
                            Após vários anos de pesquisas, verificou-se que o morador de rua vive dessa forma, por                      rupturas, tanto em sua família como no trabalho. Dessa forma concluiu-se que é preciso tempo,                     comprenssão e técnica para se relacionar com  esse indivíduo, e assim conseguir reativar o seu                     equilíbrio emocional.
                            Ele sofre, tanto por problemas financeiros como afetivos, sentindo-se um excluído social.
                    Os educadores das instituições devem, portanto, trabalhar para que o morador de rua entenda o                     problema por que passa, que não está apenas nele, mas em toda uma sociedade indiferente às                     oportunidades para sua reinserção. A partir daí, dar importância aos valores desses excluídos                     essencial. A analise de depoimentos de moradores de rua permitiu concluir que eles têm como
                    valores a amizade, a solidariedade, a vida, a esperança e a liberdade.
                             Foi consenso também que ao longo do processo, que se estabeleça uma postura de
                    acolhimento, respeito mútuo e confiança recíproca. Enfim, uma  que efetive os direitos humanos.
                    Uma das formas de as instituições valorizarem os moradores de rua é proporcionar-lhes, alegres
                   momentos de lazer, com festas, esportes ou tarefas artísticas e diversas outras atividades que
                    vão permitindo ao morador de rua sentir as emoções de um ser humano integrado em nossa                     sociedade, porém sem esquecer de sua situação e de que precisa lutar para mudá-la interna e                     externamente.
  
                          È dessa forma que o morador de rua e os educadores, nas instituições correm juntos para
                   que  os primeiros alcançarem total integração social.

 


A entidade

O morador de rua

Programas

Como ajudar

Fale conosco