O Guia de Empregos tem um novo site (http://www.guiadeempregos.org.br).
Esta página é antiga e não recebe mais atualização. Acesse o novo Guia de Empregos e encontre vagas e notícias atualizadas diariamente.

 

 

 

Ibmec cria curso de certificações internacionais

Enquanto os profissionais que trabalham com produtos financeiros no país se preparam para em breve legalizar sua atuação obtendo um certificado nacional, que deverá ser exigido pela Anbid e CVM a partir de 2003, o Ibmec decidiu apostar na preparação para outros exames de âmbito internacional.

Leia mais:

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ibmec prepara para certificações globais

Enquanto os profissionais que trabalham com produtos financeiros no país se preparam para em breve legalizar sua atuação obtendo um certificado nacional, que deverá ser exigido pela Anbid e CVM a partir de 2003, o Ibmec decidiu apostar na preparação para outros exames de âmbito internacional. A partir do ano que vem, o seu MBA Executivo em Finanças incluirá matérias que deverão habilitar os alunos a prestarem exames para obterem o Financial Risk Manager (FRM) e o Chartered Financial Analyst (CFA).

O FRM é um certificado, cujo exame é realizado anualmente no mês de novembro através da Global Association Risk Professionals (Garp), uma associação sem fins lucrativos formada por pesquisadores e profissionais que atuam na indústria financeira americana. Ele é um exame voltado exclusivamente aos profissionais que trabalham com gestão de risco. Quem atua na área pode trabalhar em bancos, empresas ou seguradoras.

Antonio Duarte, diretor regional do FRM para a América Latina, e um dos poucos profissionais que possuem esse certificado no país, será um dos professores da matéria no MBA do Ibmec. "No Brasil esse certificado não é exigido, mas no mercado americano e europeu ele é um pré-requisito", explica.

No setor bancário o profissional de risco opera carteiras de investimentos ou decide, por exemplo, quem tem direito ao cheque especial ou qual será o limite de um cartão de crédito. Duarte explica que numa multinacional, ele poderá ser o responsável por remeter lucro para fora do país. Para tanto, precisará acompanhar o câmbio e eventualmente redirecionar as operações da companhia. Nas seguradoras, é ele quem deverá evitar qualquer risco de fraude. "É um profissional com muitas responsabilidades", enfatiza.

Para prestar o FRM, segundo o professor, é preciso ter uma boa base quantitativa em estatística, econometria e matemática. Também é preciso dominar o idioma inglês. "Esse certificado possibilitará o profissional se virar em vários países", diz.

O outro certificado, o CFA, também é de âmbito global e é conferido pela entidade americana Association for Investment Management and Research (AIMR). "Esse certificado é indicado para analistas de mercado, administradores de carteira, auditores e vendedores de produtos financeiros ", explica Marco Antonio Oliveira, professor responsável pela preparação para o CFA no Ibmec. Apesar de ser realizado por uma associação americana, ele conta que apenas 49% dos candidatos que prestaram o exame este ano eram dos Estados Unidos. "Os demais eram de 150 países", diz. O CFA atualmente é ministrado em 70 nações diferentes.

O CFA é um exame dividido em três etapas. No total, são três exames, em um período de três anos. "A taxa de reprovação é muito alta e passa de 50%", diz Oliveira. O maior peso nessa prova está relacionado ao estudo da ética profissional.

O coordenador do MBA em Finanças, Roberto Zentgraf, diz que além dessas duas matérias dedicadas ao FRM e ao CFA, o Ibmec estuda a possibilidade de incluir outra voltada à obtenção do Certified Financial Planner (CFP), dirigido aos planejadores financeiros, que é concedido pela associação Certified Financial Planner Board of Standards.

(Valor - 17/12/02)

   
Médicos avançam em postos executivos
Mercado de MBAs atrai universidades americanas
Estudo identifica as diferenças culturais na maneira de negociar
Executivos de TI reconquistam espaço
Perfil do advogado brasileiro muda e acompanha expansão do mercado
Bônus de executivos serão mais enxutos neste ano
Educação contínua e planejamento fazem diferença na carreira
Aumenta o poder das mulheres no mercado executivo americano
Organização é a chave para esticar salário
"Caça-talentos" encontram-se em São Paulo
Retornar à empresa é sinal de crescimento
Estudo aponta modelo de executivo
Custo dos benefícios é de 15% da remuneração
Executivos valorizam cada vez mais os ganhos intangíveis
Rotatividade dificulta atuação de executivos
Adaptação ao emprego vira negócio
Curso de idiomas se adapta à realidade do executivo
Executivo trabalha mais, diz pesquisa
Empresas já diferenciam benefícios para reter talentos