carta ao leitor
25.Outubro.2014



Tomando posição
      A campanha política deste ano tem sido de uma baixaria “nunca vista antes neste país”, mas tem momentos engraçados, como nas declarações de Luis Inácio num comício. Se não soubesse que é má fé imaginaria que é ignorância. diretas ja
      Do alto do palanque Lula berrou “quando a companheira Dilma estava lutando pela democracia, aos 20 anos, onde estava Aécio Neves?” Ora, Aécio hoje tem 54 anos, Dilma 66.
      Ou seja, quando Dilma foi presa aos 20 anos, por organizar assaltos a banco (e não “lutar pela democracia”), Aécio Neves tinha 8 anos e estava na escola.
      Mas nas manifestações pelas Diretas Já, Aécio, com 24 anos, estava lá no palanque, ao lado do próprio Lula, FHC, Serra (ex-presidente da Une), Mário Covas, Ulisses Guimarães, Brizola, Tancredo Neves.
      Lula, na época, lutava pela volta da democracia, ao lado de todo mundo que hoje forma o PSDB. Mas Dilma não. Ela fazia parte de um grupo terrorista (não há outra definição, a não ser que voce mude o dicionário) que lutava para implantar uma “ditadura do proletariado”.
      Não sou eu quem diz isso e sim seus ex-companheiros. Eles contaram, com orgulho, que a intenção era implantar essa ditadura. Confessam ter assaltado bancos e plantado bombas (inocentes morreram em suas ações) e que teriam assassinado o embaixador dos EUA, que sequestraram, se o governo não cedesse.
      Dilma também já contou suas histórias em programas de tv, achando que isso é positivo. Contou que guardava embaixo da cama as metralhadoras e fuzis que eram usados nos assaltos. “Ficava até ruim de dormir, porque chegava a fazer um calombo no colchão”. Palavras dela.
      Lula hoje não lembra nem de longe aquele que lutou pelas Diretas Já (que por sinal foi uma luta do PMDB e o núcleo que depois virou o PSDB). Burguês, bebedor de vinhos franceses, mora numa mansão e só viaja de jatinho. Hoje quer perpetuar seu partido no poder e para isso é capaz de tudo (como disse em evento do partido).
      Nesta eleição, Dilma foi a única candidata que não quis nem apresentou seu Plano de Governo (exigência legal).
      Talvez a razão para isso seja esconder os verdadeiros planos do PT, expressos no PG da eleição de 2010 e depois desconversado por Dilma, assustada com o segundo turno.
      No PG de 2010, o PT pregava o controle da mídia e a criação de conselhos populares para decidir sobre reintegrações de posse. Aqui um exemplo real do plano do PT:
      Quando uma fazenda, uma casa, um imóvel qualquer fosse invadido, mesmo que a Justiça decretasse a reintegração ela não poderia ser cumprida.
      O “conselho popular”, aparelhado por petistas, se reuniria para decidir se a reintegração ordenada pela Justiça deveria ser cumprida. Ou seja, o país seria democracia de mentira e ditadura disfarçada, onde congresso e justiça deixariam de ser poderes.
      Não sei se Dilma concorda com isso, mas sei que o PT espera apenas por sua vitória para colocar em prática esses planos, que começam com o desarmamento do cidadão honesto (como já tentaram) e passam pelo controle da mídia (como a Argentina está fazendo usando leis absurdas).
      Só isto já seria motivo mais que suficiente para eleger Aécio Neves (se não fizer as mudanças que esperamos, trocamos de novo em 2018). Porém, o problema é maior.
      Nos 12 anos de PT no governo, o que se viu foi um festival de roubo, corrupção, aparelhamento dos órgãos públicos, abusos de todos os tipos. A Petrobrás despencou de valor e quem investiu em suas ações hoje tem metade. Os Correios, de exemplo mundial viraram modelo de ineficiência.
      O filho de Lula era zelador de zoológico num dia, virou milionário no dia seguinte.
      Lula levava a tal Rose Noronha, tida como sua amante, em voos oficiais, escondida, infrigindo não só leis nacionais como as internacionais. E Rose fazia tráfico de influência.
      Ela e os petistas corruptos são protegidos pelo PT.
      Não bastasse o Mensalão, maior escândalo de corrupção da história, descobrimos hoje que ele era apenas parte de um esquema muito maior, onde 3% dos contratos bilionários da Petrobras eram desviados para o PT, mais 2% para o PP e 1% para outros aliados.
      Descobrimos, a cada dia, novos desdobramentos, em relatos de quem participou de todos os atos, dando nomes e, principalmente, documentos que provam as denúncias.
      Até a campanha de Dilma é bancada por esse dinheiro. E, segundo o doleiro que fazia as transações, Lula e Dilma sabiam de tudo.
      O PT, literalmente, bateu nossa carteira.
      Por isso, goste ou não de Aécio, não dá para votar em Dilma. Votar nela é ser um cúmplice. Eu não sou cúmplice de bandido. Voto Aécio 45.


 
compre fazenda
Anuncie aqui: (73) 3043-8941


Copyright©1996-2014 A Região Editora Ltda, Praça Manoel Leal (adami), 34, 45600-023, Itabuna, BA, Brasil | Reprodução permitida desde que sem mudanças e citada a fonte.