a regiao
Find more about Weather in Itabuna, BZ
claudio humberto
19.Agosto.2017

Batem ponto às 6h e ‘vazam’

Apesar da promessa de controlar a frequência dos deputados, a Câmara nunca foi tão tolerante. Na quinta (17), o painel eletrônico para “registro de presença” foi aberto às 6h (!) da manhã. Isso permite que eles batam o ponto e corram para o aeroporto, pegando o primeiro voo para seus estados. Suspensa pelo ex Eduardo Cunha, a manobra foi restabelecida pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia.


Apenas um registro

Ao contrário de todos os trabalhadores brasileiros, os parlamentares não registram a hora que saem do, digamos assim, trabalho.


Bateram asas

O painel da Câmara registrava a presença de 436 deputados, pelas 11h da manhã. Mas menos de trinta estavam presentes no plenário.


Reforma sem definição

De todas as propostas da reforma política, em discussão na Câmara, a única que gera consenso é a emenda (PEC 77), relatada pelo petista Vicente Cândido (SP), prevendo entre outras espertezas a criação do “fundão” de R$ 3,6 bilhões para custear suas campanhas. O dinheiro será retirado na boca do caixa do Tesouro: 0,5% de toda receita líquida da União, ou seja, dos impostos pagos pelos brasileiros.


Privatizou, melhorou

Estudo da Confederação Nacional do Transporte mostra que, em 2016, as concessionárias de rodovias investiram R$ 354,4 mil por quilômetro, mais que o dobro do que o governo federal gastou nas rodovias.


Marajás resistem

Exatos 144 marajás da Caesb, empresa de águas do DF, recebiam acima do teto de R$30 mil. Tem gente ganhando R$55 mil, R$67 mil, R$75 mil e até mais de R$100 mil por mês. Agora receberão o teto. Mas não se fala em devolver o dinheiro que embolsaram durante anos.


Manobra protelatória

Lula quer suspender interrogatório à Justiça, em setembro, sobre a compra do terreno pela Odebrecht para o Instituto Lula, a título de propina, para que advogados questionem 97 testemunhas de defesa.


Delações, nem pensar

Para o senador Randolfe Rodrigues, a CPI do BNDES deve investigar empréstimos “a partir de 1997”. O objetivo é proteger os governos do PT e alcançar os anos FHC. Já analisar delações sobre o banco...


Projeto animador

Ganha cada vez mais adeptos o projeto da senadora Maria do Carmo (DEM-SE) que regulamenta o artigo da Constituição que prevê avaliação regular de servidores e a demissão dos incompetentes.


Ameaça à liberdade

Tramita na Câmara projeto que pretende punir com prisão, sem direito a fiança, quem cria “páginas ofensivas e difamatórias” contra políticos na internet. A autora é Soraya Santos (PMDB-RJ), ligada a Eduardo Cunha. Ela e o líder certamente se acham reservas morais da Nação.


Imbassahy na mira

Antes elogiado, o ministro Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo) virou um problema para o presidente Michel Temer. A maior parte dos partidos aliados, como PR e PP, exige sua substituição. Ele é acusado de se empenhar mais pelo PSDB, seu partido, do que articular em favor do governo. Imbassahy passaria a maior parte do tempo trabalhando por sua eventual candidatura a senador ou a governador da Bahia.


Bahia é o meu país

“Ele só tem olhos para o PSDB da Bahia”, criticou o influente líder do PP na Câmara, deputado Arthur Lira (AL), referindo-se a Imbassahy.


Injustiça social

Em 2015, auge da irresponsabilidade da era Dilma, o governo federal pagou R$ 90,3 bilhões aos 29,2 milhões de aposentados do setor privado. E R$ 92,9 bilhões aos 980 mil aposentados do setor público.


Apenas este ano

O orçamento da Câmara dos Deputados, em 2017, soma espantosos R$5,92 bilhões. Cada um dos 18.710 funcionários, somados aos 513 deputados, custam ao contribuinte, em média, R$308 mil por ano.


Vergonha cancelada

O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, em Salvador, após uma onda de indignação nacional, suspendeu a licitação para a vergonhosa contratação de “personal trainer” para magistrados e servidores.


Protesto no escuro

Em reunião de líderes nesta terça, PSOL e PDT anunciaram que vão manter “obstrução política geral”. Pior é que ninguém na Câmara parece ter percebido quando começou.


Me incluam fora dessa

O governo Michel Temer decidiu não gastar munição com a reforma política, para não se desgastar ainda mais. O Congresso decidirá como quiser sobre “fundão”, “distritão” e outras presepadas.


Mandou bem

A Polícia Federal dá exemplo de burocracia de primeiro mundo: quem tem passaporte e informou seu e-mail quando o solicitou, agora recebe aviso da data do seu vencimento com meses de antecedência.



:: Poder sem pudor


Conta de somar

Homem sério, o líder mineiro Milton Campos nunca foi daqueles políticos que tentam explicar o inexplicável. Ele perdeu para João Goulart, em 1960, a eleição para vice-presidente da República, que na época não era “casada” com a de presidente. Na expectativa de obter avaliação profunda do seu próprio insucesso, um jornalista provocou:

- Dr. Milton, por que o senhor perdeu?

- Perdi porque ele teve mais votos, ora – disse, encerrando a conversa.




Coluna do jornalista Cláudio Humberto, do Diário do Poder

|