malha fina
24.Setembro.2016

praca roosevelt

Afanando

      Cuma já foi condenado por roubar verba pública. Hoje, ele se dedica a roubar ideias, como a da Praça Camacan com estacionamento embaixo e jardim suspenso em cima. A ideia é de Marcel Leal, divulgada por ele há muitos anos.

Ideia conhecida

Marcel, que se inspirou na Praça Roosevelt, de São Paulo (foto), defendeu a ideia inúmeras vezes no jornal A Região e no programa Mesa Pra 2, da Morena FM. Fez isso em entrevistas com Augusto, Vane, Roberto José, entre outros.

Desde 2005

A ideia da Praça Camacan suspensa é defendida por Marcel desde 2005 e foi tema de “Carta ao Leitor” em 2008, 2010, 2012 e 2013, sendo a última em fevereiro de 2015. Além disso, todos sabem que Cuma, se eleito, não faria nada disso.


Só a da Venezuela

O boletim do sindicato dos bancários, usado para fins políticos do PT, mente descaradamente aos filiados, alegando que “a grande mídia internacional” condenou o “golpe”. Pelo contrário, todos consideram o impeachment legítimo.

Vai ser um mês

Como a greve anual dos bancários não terminou em duas semanas, deve durar um mês. É assim, durando 2 semanas ou um mês, desde 2000. Todo ano tem, com ou sem negociação, com ou sem proposta dos bancos. E o cliente... ó!

Senhor da razão

Desde 2002 A Região vem dizendo que o projeto do governo era fechar a Ceplac. Políticos chapa-branca criticavam o jornal dizendo que ele mentia. Hoje, o rebaixamento da Ceplac a departamento mostra que sempre estivemos certos.

Sobraram 9

O governo federal rebaixou a Ceplac a um mero departamento do Ministério da Agricultura em decreto publicado na quarta-feira e eliminou mais de 480 “boquinhas” de confiança e funções gratificadas. Vai faltar teta para os famintos.

Malandragem

Petistas e comunistas divulgaram que tinham “revertido” o rebaixamento mas, pelo jeito, o que eles fizeram foi pedir a Dilma que só publicasse o decreto depois das eleições, para não atrapalhar as candidaturas vermelhas. Deu merda.

S.O.S precioso

Tem presidente de Câmara de Vereadores no sul da Bahia presenteando “amiga íntima” com cargo de R$ 4 mil. Muito “competente”, a moça presta serviços ao parlamentar nos finais de semana e vai receber pela prefeitura. Socorro!

Tá acostumado

Um servidor da Câmara de Itabuna, que trabalhou 30 anos na casa, acusa o presidente Aldenes Meira de não ter pago seus direitos trabalhistas quando se aposentou. Não é novidade. Aldenes até hoje deve gastos da campanha de 2014.

Se achando

Cuma não tem pudor em dizer, na TV, que fez um viaduto e uma avenida só para botar seu próprio nome neles. E ainda cita uma “avenida ACM” que não existe. Foi uma tentativa de “puxar as bolas” de ACM, barrada pela Câmara.

Voz presa

Radialistas que se vendem para candidatos devem se preocupar, e muito. Em Ipiaú, um radialista da FM local foi preso porque se dedicava a elogiar o atual prefeito, que concorre à reeleição, e atacar a candidata que é adversária.

“Coisa de fresco”

Não existe cara de pau maior que Cuma falando em valorizar a cultura, que foi perseguida e ignorada em todas suas gestões. Destruiu teatro, foi criticado pelo secretário estadual aliado e respondeu que “curtura é coisa de fresco”.

Sem compaixão

Um servidor da Câmara de Ilhéus está titirica da vida com o presidente Tarcísio Sem Paixão. Ele suspendeu o ticket alimentação há mais de três meses e ainda deu o recado: o ticket só volta depois da eleição. A depender do resultado.

Baticum

candomble Itabuna viveu 4 anos sem matança de bodes nem toque de atabaques mas, pela frequência de Cuma nos terreiros de candomblé, parece que a tranquilidade vai acabar, se a justiça divina não der uma mãozinha à justiça dos homens.

Atormentado

Augusto Castro é a pedra no sapato de Fernando Cuma. Na carreata do deputado na sexta 23, Cuma acionou a policia alegando que apoiadores de Augusto lançaram rojão na sala de seu apartamento, causando danos e ferindo pessoas.

Factoide

Ao chegar, os policiais não encontraram dano na sala nem tão pouco pessoas feridas, como alegado. Tudo leva a crer que o candidato Fernando Gomes criou um factoide para atingir o adversário que tanto lhe incomoda há meses.

Última chance

Vai ser “ver para crer” se os vereadores de Itabuna vão votar favorável à transferência da Emasa para a Embasa. A venda da Emasa se tornou a última fronteira de esperança dos edis para obter dinheiro para suas falidas campanhas.

Desesperados

Até aqui, todas as tentativas dos candidatos à releição ficaram na esperança. Tentaram achacar a Zona Azul, nada; tentaram interferir na licitação do transporte coletivo, nada. A última boia de salvação é a Emasa. Será que terão?

Rejeitados

Candidatos a vereador estão se queixando que está difícil conseguir votos. Os eleitores não querem saber de vereador em sua porta pedindo votos e fazendo promessas que nunca cumprem. Vai ficar pior. O desespero aumenta no final.

Esperança

Geraldo Dantas tem confessado a amigos que o tempo dele na Emasa ainda não passou. Diz que seu irmão Ubaldo Dantas apoia Augusto Castro e já garantiu que, se ganhar, ele volta para demitir todos os que festejaram sua saída.

Muito chão

Pode ser apenas uma bravata de Geraldo, mas Ubaldo apoia mesmo Castro e na carreata de sexta-feira, 23, desfilou em carro aberto pelas ruas ao lado de Augusto. Mas uma coisa é a campanha, outra é o governo. Se tiver governo.

Assédio criminal

Servidores comissionados e contratados da secretaria da Agricultura de Itabuna dizem estar sofrendo assédio moral por parte do secretário e pedem ao prefeito Vane que apure as acusações, que são sérias e chegam a ameaça velada.

Carro eleitor

Se carro votasse, Augusto Castro estaria eleito devido ao grande congestionamento causado em vários postos de combustíveis para abastecimento dos carros que participaram da carreata do deputado na tarde de sexta-feira, 23.

Coroné! Cuma?

Cuma sabe que, se ganhar as eleições, o que é bem difícil, não assume o cargo porque é ficha-sujíssima. Mas prefere manter a candidatura para enganar os trouxas. Continua se achando coronel acima da lei, que pode fazer o que quer.

Véio abusado

Sabe que, se ganhar e for cassado, haverá outra eleição e ele terá que pagar a despesa desta nova eleição ao TRE. Mas, do alto de sua arrogância, diz a quem ainda o ouve que “ninguém é preso por dívida” e que “não vai pagar nada”.

|


Mais colunas:

Cláudio Humberto, politica
Hélio Castro Neves, velocidade
Daniel Thame, esportes
Marcel Leal, opinião
Diogo Caldas, coluna social
Juliana Soledade, cronicas
Tech, tecnologia e games
Malha Fina, notas ácidas

 
compre fazenda
Anuncie aqui: anuncio@aregiao.com.br

 

Copyright©1996-2014 A Região Editora Ltda, Praça Manoel Leal (adami), 34, 45600-023, Itabuna, BA, Brasil | Reprodução permitida desde que sem mudanças e citada a fonte.