OSBA festeja 35 anos com Liszt

No mês em que celebra seus 35 anos, a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) abre oficialmente sua temporada de grandes concertos no dia 14, quinta-feira, às 20h, na Sala Principal do TCA.

Ela retoma a série Jorge Amado, com regência do maestro Carlos Prazeres, o tenor Paulo Mandarino como solista convidado e participação do Coral Ecumênico da Bahia, com 40 vozes sob coordenação do maestro Ângelo Rafael.

A OSBA assume o desafio de interpretar a “Sinfonia Fausto”, obra-prima do compositor húngaro Franz Liszt (1811-1886), escrita em 1857 e inspirada na tragédia em versos do escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe.

A obra narra a jornada de um homem amargurado que “vende” sua alma ao diabo em troca da juventude eterna. A Sinfonia de Liszt é dividida em três movimentos construídos como “retratos psicológicos” dos personagens.

Começa por Fausto, torturado e dramático; seguido da sua amada Gretchen e, por fim, de Mefistófeles, representação do demônio, que não tem motivos musicais próprios, sendo deformações dos motivos de Fausto.

Na parte final, um coro de 40 vozes e tenor entoando louvor, tendo entre seus versos a frase “O eterno feminino nos levará para o alto”. Completa o repertório deste concerto a obra “Ritual” do maestro e compositor baiano Lindembergue Cardoso (1939-1989).

22:28   |