Deputado acusa Rui de omissão

O deputado estadual Sandro Régis (DEM) ressaltou o prejuízo multimilionário causado pela invasão e destruição da fazenda Rio Claro, da empresa Lavoura e Pecuária Igarashi Ltda, localizada em Correntina, no dia 2 de novembro.

O parlamentar saiu em defesa do agronegócio baiano durante discurso na Assembleia Legislativa da Bahia. “A fazenda era conhecida internacionalmente pela sua capacidade, pela sua tecnologia e, acima de tudo, pela quantidade de pessoas que empregava”.

O local foi praticamente destruído por cerca de 500 pessoas, que protestaram contra o novo sistema de irrigação da Igaraschi, produtora de batata, cenoura, feijão, tomate, alho e cebola. “Estamos falando em um prejuízo de milhões de reais".

"Qual será a posição do Governo perante esse ato de vandalismo que traz insegurança aos investidores do agronegócio do Estado? Eu falo de uma fazenda 100% produtiva".

"Nós não vimos até agora o Governo do Estado sinalizar qual a punição e atitude que tomará para que esse efeito de insegurança não se alastre mundo afora”, declarou.

Sandro destacou que, diante das dificuldades da economia brasileira, o setor que está minimizando a situação é o agronegócio. “Quem está segurando o PIB é o agronegócio. O setor produtivo do Brasil vem da terra, de quem produz, de quem gera emprego, de quem gera alimento".

"Quero saber qual o empresário, qual o investidor, que depois desse acontecimento em Correntina pensa em investir um real em solo baiano”, afirmou. “O Governo deveria agir de uma forma rápida e dar exemplo e tranqüilidade ao setor de agronegócio".

"Mas eu li na imprensa que o Senhor Governador Rui Costa nem os empresários quer atender. Ou seja, fica claro que nessa situação o protegido são os vândalos e os bandidos, e o Estado não abraça quem produz e gera riqueza para Bahia”.

0:14   |