MPF denuncia deputada mais dez

A partir de provas obtidas durante a Operação Águia de Haia, o Ministério Público Federal, em Ilhéus, denunciou dez pessoas à Justiça por desvios de recursos do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação Básica. A operação foi deflagrada em 2013 para apurar desvios de recursos do Fundef pelo prefeito e servidores de Ruy Barbosa.

Segundo a ação, os denunciados desviaram R$ 801 mil em um processo licitatório em Ibirapitanga. No curso da investigação, ficou constatado que o denunciado Kells Belarmino Mendes liderava uma organização criminosa.

Ela é composta por Marconi Edson Baya, Fernanda Cristina Marcondes Camargo, Rodrigo Seabra Bartelega Souza e Maycon Gonçalves Oliveira dos Santos, que fraudou licitações e desviou recursos públicos por meio de pagamentos exorbitantes por serviços não prestados.

Segundo o MPF, a organização agia em diversos municípios e negociava com as prefeituras um “pacote fechado”, que viabiliza fraudes com minutas e modelos de peças de licitação, para permitir que empresas do grupo fossem as únicas interessadas e vencedoras dos certames.

Em Ibirapitanga, o MPF diz que o grupo criminoso agiu com auxílio da deputada estadual Ângela Souza (PSD). A organização teria cooptado o então prefeito Antônio Conceição Almeida, por meio de promessa de pagamento de propina. Ângela ficaria com 5% dos pagamentos.

Ainda de acordo com o MPF, a deputada Ângela Sousa já responde ação no TRF1, com o seu colega Carlos Ubaldino, por organização criminosa. A denúncia é um desdobramento da Operação Águia de Haia, que investiga desvio de verbas públicas do Fundeb em 20 cidades baianas.

23:24   |