ESPECIAL VAGINA
UM BALÃO VAZIO
CONHEÇA O PH DA SUA VAGINA
saiba como cuidar da sua vagina
os sintomas das infecções mais comuns
PERCEPÇÕES DA MULHER SOBRE A VAGINA
CORRIMENTOS VAGINAIS
FAZENDO SEXO COM PRAZER
COMO ENFRENTAR A CANDIDÍASE
GINÁSTICA VAGINAL
CONTRACEPÇÃO VAGINAL
A VAGINA NÃO É SECA
HERPES GENITAL

CONTRACEPÇÃO NA IDADE FÉRTIL
CONTRACEPÇÃO NA PERIMENOPAUSA
CONTRACEPÇÃO NA ADOLESCÊNCIA

VOCÊ CONHECE O PH DA SUA VAGINA?
JOSÉ SIMÕESO termomêtro da saúde vaginal é o índice de PH, ou potencial hidrigeniontico. O PH mede o grau de acidez ou alcalinidade de uma substância.A água, por exemplo, uma substância reconhecidamente neutra, tem índice 7 de PH. O Ph da vagina saudável é ácido, ou seja, mais baixo do que 7. Seu grau normal varia de 3,8 a 4,2. É esta a condição ideal de sobrevivência dos Bacilos de Doderlein, também conhecidos como lactobacilos, representantes da flora microbiana que povoa o ambiente vaginal saudável. A redução do nível de lactobacilos na vagina é a principal causa das irritações e infecções que, vira e mexe, nos incomodam e nos obrigam a correr para o ginecologista. O tratamento com antibióticos pode diminuir o nível essa flora da mesma forma que mata bactérias. Situações de estresse e de baixa da resistência do organismo, dependendo do impacto, causam o mesmo efeito e podem produzir infecções. A aproximação da menopausa e as mudanças que o desequilíbrio hormonal produzem também afetam O PH.
Se o resultado da queda brusca no equilíbrio da flora microbiana é um PH vaginal mais ácido, ficamos sujeitas ao ataque de fungos como a Cândida, que provoca coceira intensa e o corrimento branco, com aparência de coalhada, chamado de candidíase. Se o desequilíbrio torna o PH mais alcalino, estamos expostas à ação da bactéria tricomonas, que prolifera nesse meio. E também ficamos vulneráveis à vaginose, outra infecção provocada pelo PH mais alcalino, caracterizada por mau cheiro perceptível, principalmente após a relação sexual.
Existem remédios caseiros capazes de corrigir o PH, especialmente quando é pequena a variação de acidez. Eles podem aliviar uma irritação corriqueira ou mesmo a coceria excessiva, e vale a pena conversar com seu médico sobre eles. Para diminuir o grau de alcalinidade da flora vaginal, que sujeita a região ao ataque da tricomoníase ou à vaginose, um banho de assento com vinagre diluído em água na proporção de meio copo de vinagre para um a dois litros de água, por exemplo, pode ser a salvação momentânea. Quando o PH aumenta de acidez, expondo o meio vaginal ao fungo da candidíase, uma colher de sopa de bicarbonato dissolvido num copo de água pode trazer alívio imediato. As soluções devem ser aplicadas diretamente na vagina, com o auxílio de uma seringa (sem agulha).
Tais procedimentos devem estar de acordo com indicações de seu médico ginecologista, naturalmente. A única intervenção caseira que se pode utilizar sem a orientação médica é o banho de assento com chá de camomila. A planta é um anti-inflamatório natural muito bom, que alivia muitos os sintomas de irritação.
O uso de iogurte e de produtos com lactobacilos é visto com ressalvas pelos médicos. As duas substâncias podem equilibrar o PH, mas nada comprova que realmente ajudem a repor o nível dos bacilos de Doderlein e, portanto, recuperar a flora microbiana vaginal. A busca de uma cepa de lactobacilos adequada a este fim é hoje objeto de pesquisa no mundo todo. Mas segundo o médico Simões, esta é uma pesquisa complexa. "As cepas variam entre as populações femininas de acordo com as diferenças de clima, vestuário e alimentação e, assim, os lactobacilos das asiáticas, por exemplo, não são iguais aos das americanas, e os das brasileiras também são diferentes."
José Antônio Simões é professor-assistente doutor do departamento de Tocogincologia da FCM da Unicamp - Universidade de Campinas, especializado em microbiologia vaginal.
[ voltar ]