PÍLULAS ESPECIAIS
NÃO HORMONAIS
COMPORTAMENTAIS

PÍLULAS DE BAIXA DOSE
Contraceptivos hormonais orais de baixas doses de estrogênios (15 microgramas) combinados com 60 microgramas de progestogênios (derivados sintéticos da progesterona).
COMO FUNCIONA
Inibem a ovulação, como os anticoncepcionais orais tradicionais, e também espessam o muco cervical para dificultar a passagem dos espermatozóides.
EFICÁCIA
A porcentagem de falha das duas pílulas varia de 02% a 0,4%, segundo estudos clínicos feitos pelos fabricantes.
VANTAGENS DO MÉTODO
A baixa dosagem de hormônios atenua os principais efeitos colaterais.
EFEITOS COLATERAIS
Náuseas, dores de cabeça, inchaço e maior sensibilidade das mamas e alterações de peso. Pode produzir sangramento durante o ciclo, no início do uso. A continuidade do tratamento diminui essa ocorrência, segundo os ensaios clínicos dos dois contraceptivos, feitos pelos fabricantes.
QUANDO USAR
As cartelas vem com 24 comprimidos e não 21, como nas cartelas das pílulas convencionais. Eles devem ser tomados diariamente, de preferência no mesmo horário. A pausa é de apenas 4 dias e não mais de 7 dias como nas pílulas anteriores. Nesse período ocorre o sangramento.

PÍLULAS ESPECIAIS
Anticoncepcional oral de composição diferenciada, capaz de atenuar os sintomas de TPM (Tensão Pré-Menstrual). Contém drospirenona, combinada com o etinilestradiol, um tipo de progestogênio associado quimicamente à espironolactona - a substância diurética mais receitado pelos ginecologistas para tratar da retenção hídrica que afeta as mulheres e é responsável pelos sintomas de inchaço, irritação e depressão típicos da TPM.
COMO FUNCIONA
Inibe a ovulação, como os anticoncepcionais orais tradicionais, e também atua diminuindo o nível de potássio no organismo, o que reduz o inchaço corporal. Um estudo da nova pílula, feito com 1657 mulheres mostrou a redução de até 2 quilos nos peso de 24% das voluntárias depois de um ano de uso. Em um outro estudo, com 700 voluntárias, apenas 16% das que tomaram a nova pílula sentiram o desconforto dos sintomas de TPM, enquanto com outras pílulas, em média 30% das usuárias sofrem com o inchaço pré-menstrual.
EFICÁCIA
A porcentagem de falha é semelhante a dos anticoncepcionais orais, de 1 gravidez por cad 1000 mulheres ou 0,1 por 100 mulheres.
VANTAGENS DO MÉTODO
Além de atenuar os sintomas da TPM também tem efeito sobre a acne branda, o crescimento de pelos no rosto e a irritabilidade em virtude da ação anti-androgênica do drospirenona.
EFEITOS COLATERAIS
Pode causar dores de cabeça e nas mamas e oferece risco de tromboembolismo como as demais pílulas, para mulheres com risco de desenvolver o problema.
CONTRA INDICAÇÕES
Não poder ser usado por mulheres com doenças renais, hepáticas ou adrenais porque aumenta os níveis de potássio no sangue. Pacientes que estão tomando remédios que aumentam a concentração de potássio no sangue devem avisar seu ginecologista antes de iniciar o tratamento com Yasmin.
QUANDO USAR
As cartelas vem com 21 comprimidos como as demais pílulas convencionais. Eles devem ser tomados diariamente, de preferência no mesmo horário. A pausa é de 7 dias, período em que ocorre o sangramento.