A ATIVIDADE FÍSICA E O EQUILÍBRIO HORMONAL
AS MULHERES NUNCA MENSTRUARAM TANTO
O USO DE ANTICONCEPCIONAIS NO BRASIL
CONTRACEPTIVO É PROBLEMA DA MULHER, REVELA ESTUDO
A ATIVIDADE FÍSICA E O EQUILÍBRIO HORMONAL

A prática de exercícios regulares, já se sabia, melhora a disposição física e a sensação de bem estar, além de manter em boas condições de saúde o corpo e a mente. Estudos recentes vem mostrando agora que a atividade física também reduz, comprovadamente, o risco de câncer de mama. Ou seja, a vida sedentária é um fator de risco para essa doença, como já imaginavam os médicos.

O último estudo a respeito foi publicado no Jornal da Associação Médica Americana no início de setembro. Ele avaliou dados sobre estilo de vida e atividade física de 74 mil mulheres de meia idade, que responderam a um questionário informando a freqüência com que costumavam exercitar-se no presente e o que tinham feito de atividade física no passado. As entrevistadas eram participantes da pesquisa norte-americana do Women's Health Initiative, um mega projeto de investigação de variada gama de aspectos da saúde feminina, que está sendo conduzido desde meados da década de 90 por 40 centros de pesquisa espalhados pelos Estados Unidos.
Os resultados da avaliação, feita por pesquisadores da equipe da médica Anne McTiernan, do Centro de Pesquisa sobre Câncer Fred Hutchinson, de Seattle, mostram que mulheres que fazem exercícios regularmente tem o risco de desenvolver câncer de mama reduzido em 20%. Atividades como caminhar, andar de bicicleta e nadar, que são consideradas moderadas, têm mais impacto na diminuição do risco de câncer quando praticadas cinco vezes por semana, concluiu o estudo. Os pesquisadores observaram que a prática de exercícios regulares tem potencial de reduzir o risco para a doença inclusive entre mulheres que tem histórico de câncer na família ou que estão fazendo terapia hormonal (de reposição ou de contracepção).
Segundo os resultados dessa pesquisa, as mulheres que mais se beneficiam da atividade física são as que tem peso normal(*) ou inferior ao normal. Entre as mulheres com peso acima do normal (obesas ou a caminho de se tornarem obesas) o exercício regular não teve o mesmo impacto. A obesidade é um dos fatores de risco mais importantes para o desenvolvimento de câncer de mama em mulheres de mais de 40 anos.
(*) O PESO NORMAL É EQUIVALENTE AO IMC (ÍNDICE DE MASSA CORPÓREA)