O USO DE ANTICONCEPCIONAIS NO BRASIL
AS MULHERES NUNCA MENSTRUARAM TANTO
O USO DE ANTICONCEPCIONAIS NO BRASIL
a relação com os contraceptivos
as mudanças entre os métodos contraceptivos
pílula anticoncepcional
injeção
implante
diu hormonal
avaliação do lançamento do EVRA
CONTRACEPTIVO É PROBLEMA DA MULHER, REVELA ESTUDO
A ATIVIDADE FÍSICA E O EQUILÍBRIO HORMONAL

A ESCOLHA DO MÉTODO
Como a mulher brasileira, usuária de contraceptivos hormonais, escolhe o método de sua preferência e qual sua expectativa em relação às novas opções de contracepção? O Instituto de Pesquisa Synovate foi a campo, atrás da resposta em meados do ano passado, a pedido da Janssen-Cilag, empresa farmacêutica que acaba de lançar no país o adesivo Evra -- o único contraceptivo transdérmico hormonal disponível atualmente no mundo. O Evra foi lançado nos Estados Unidos em maio de 2002 e está sendo comercializado no Brasil desde março deste ano.
 
O Instituto Synovate ouviu 500 mulheres das classes A e B, entre 16 e 45 anos, residentes em cinco cidades brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife e São José do Rio Preto - SP), por meio de entrevistas pessoais com 100 mulheres de cada cidade. Os resultados foram tabulados e analisados em conjunto pelo Instituto de Pesquisa e a equipe de Sexualidade Humana e de Planejamento Familiar do Departamento de Obstetrícia da Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM).

Além das 500 mulheres também foram ouvidos em dois grupos de discussão 24 ginecologistas de São Paulo formados há pelo 5 anos por diferentes faculdades, que dedicavam 60% ou mais de seu tempo à atividade clínica em consultório particular.

A seguir, os resultados da pesquisa.

AS MULHERES PESQUISADAS