INFORMACÃO<Guia de raça << BRACO ITALIANO >>
  


BRACO ITALIANO: MUDOU E SOBREVIVEU

Ele quase acabou, os criadores o modificaram e agora vem reconquistando o seu espaço. As longas orelhas e o olhar pensativo lhe dão um ar sério, muito característico. Mas não se engane.

 
 
BRACO ITALIANO: MUDOU E SOBREVIVEU

O Braco Italiano é superfesteiro e adora ficar perto dos donos. "Os meus até choram se chego e não abro o canil para me receberem aos pulos", diz Elaine Maria Pereira, do Canil Alvorecer, Brasília - DF. É um cão obediente, que gosta de agradar aos donos. O próprio padrão o define como "fácil de ser educado, além de ter uma excelente faculdade de entendimento". Como todo bom caçador, se transforma diante de uma possível presa e fica de imediato na posição típica das raças que apontam a caça, com uma das pernas dianteiras erguidas e parado como uma estátua. Elaine conta que é exatamente isso que os seus fazem ao ver as galinhas por trás da tela do galinheiro.

SELEÇÃO


Antigo, o Braco Italiano, contribuiu na formação das raças Pointer Francês, Vizla e Spinone Italiano. É tido como o pai dos demais Bracos (cães de caça a aves, caracterizados por apontá-las) e já foi bastante apreciado pela nobreza européia. Seguiu famoso até fins do século 19, quando o Pointer Inglês surgiu e os Setters se popularizaram. Comparado a essas raças, tinha limitações: era menos veloz e se afastava pouco do caçador, apenas cerca de 50 m. Assim, ficou de lado e quase sumiu. Após a Segunda Guerra, os italianos decidiram reerguê-lo e fundaram a Societá Amatore Bracco Italiano, atual responsável pelo seu padrão oficial. Iniciaram uma seleção para aprimorar as virtudes deste caçador. "Alteramos caracteres físicos para melhorar a aerodinâmica e propulsão, dando mais leveza e velocidade ao trote, seu passo típico", explica Gianni Benasso, presidente da entidade. Tais mudanças foram oficializadas na versão do padrão de 1990. Hoje, o Braco Italiano tem cabeça mais estreita, dorso mais reto e musculoso., tronco mais curto e garupa com inclinação adequada para aumentar o impulso das pernas traseiras. Segundo Gianni, conseguiram também ampliar o instinto de rastrear para cerca de 300m e fazê-lo apontar a caça por mais tempo.

SUCESSO

Apesar de ainda ser pouco popular no mundo, o Braco Italiano desperta um interesse crescente de apreciadores em seu país, onde a caça é permitida. Usam-no tanto para caçar aves - sua especialidade - como também outros pequenos roedores. Vale dizer que por ser um trotador, só é usado em áreas pequenas, como prados, lavouras e bosques. Jorge Araújo, que adestra cães para caça e cria Pointer Inglês em Poços de Caldas - MG, explica que raças que galopam, a exemplo do Pointer Inglês e do Setter, não são tão boas para locais pequenos, onde acabam espantando os animais. Luigi Consonni, presidente da Federação de Caça Italiana e vice-presidnete do Grupo Cinófilo Milanês, conta que trabalhar trotando é tão peculiar à raça que, nas competições de caça, aqueles que galopam perdem pontos. " O galope só é aceito quando o exemplar retorna ao caçador." Na ENCI- Entilá Nazionale di Cinofilia Italiana, registram-se cerca de 650 filhotes ao ano. Aqui, os primeiros Bracos chegaram em 1990, com a criadora Anna Maria Rose, do Canil Della Laguna, Brasília - DF. A média de registros anuais foi de apenas 20 exemplares. "Como o Braco Italiano é pouco conhecido, chama atenção. Alguns o confundem com o Pointer Inglês. Outros, com o Braco Alemão. Mas todos se encantam com seu jeito simpático", comenta Elaine.

FICHA

Origem do nome: Vem de "Braccare"(caçar, em italiano) - também conhecido como Pointer Italiano. Compra do filhote: largura do crânio deve ser menor que a metade do comprimento da cabeça; dorso reto; orelhas rentes à face, cujas pontas alcancem ou ultrapassem a ponta do nariz. A trufa (ponta do nariz) é cor de carne ou marrom, conforme a pelagem. Cauda: corta-se 1/3 durante a primeira semana de vida. Ambiente ideal: "áreas espaçosas, onde possa se exercitar, senão fica irriquieto e infeliz". César Simionato, Canil da Vargem Bonita , Brasília - DF. Cor: branco; branco com manchas grandes ou pequenas ou sarapintado (pintinhas) de cor laranja ou âmbar (mais ou menos carregado) ou marrom. Quando sarapintado de marrom é desejável um tom escuro, com reflexos metálicos. Prefere-se, em todas as cores, máscara simétrica na cabeça.

Tamanho: machos, de 58 a 67 cm. Fêmeas, de 55 a 62 cm. Peso entre 25 a 40 kg.

Dados: do padrão CBKC nº 253, de 1/1/1995 (Tradução do padrão FCI n° 253 a/b, de 1990).

Clube Especializado: Societá Amatore Bracco Italiano, Via Rio Spinoleto, 16,34149 - Trieste, Itália, tel. (003940) 829043.

Para ler: Razze de Ferma Italiane: Bracco e Spinone, de Gianni Benasso, editora Del Vecchi Milano, Itália.

Reportagem e redação: Mariana Viktor. Edição de texto: Flávia C. Soares e Marcos Pennacchi Foto: Luiz Henrique Mendes. Prop.: Canil Della Laguna

Direitos autorais do texto: Cães&Cia, é proibida a reprodução total ou parcial do texto


 
  
conheça também: